Após dois anos de discussões e audiências públicas entre o deputado federal Alceu Moreira (PMDB/RS) e representantes do Ministério da Agricultura, a utilização do colostro bovino foi autorizada pelo órgão na última semana, através da publicação do novo Riispoa.

“O decreto que proibia o uso no Brasil era de 1952, há 65 anos, quando o país não possuía tecnologias de pasteurização. Enquanto aqui era jogado fora, o colostro estava sendo utilizado em diversos países na Europa, nos Estados Unidos, China, Austrália e Nova Zelândia para produção de alimentos, medicamentos, suplementos nutricionais e no tratamento de doenças gastrointestinais”, justificou o deputado.

Ainda segundo Alceu Moreira, a liberação do uso do colostro partiu de pedido encaminhado a seu gabinete pela médica veterinária Mara Saalfeld, da Emater/RS, premiada pela Unesco por pesquisas realizadas nessa área.

O rebanho de vacas em lactação no país é estimado em 39 milhões.

O que é o colostro

O colostro bovino é o leite produzido nas primeiras 48 horas após o parto da vaca. Esse leite precoce é rico em sais minerais, proteínas, anticorpos que fortalecem o sistema imunológico e antioxidantes.

Os bezerros de vacas leiteiras só são separados da mãe depois de 48 horas para terem acesso ao colostro, que é muito importante para a saúde do animal.

Deixe seu comentário