Buscando a reeleição, progressista detalha alguns de seus planos para o futuro de Brochier

Quem é Clauro Josir de Carvalho?
Clauro Josir de Carvalho é uma pessoa que veio a Brochier há quase 30 anos. Tenho uma esposa, dois filhos. Um nascido em Brochier. Hoje, como estou de prefeito e tentando a reeleição, a gente, com toda a simplicidade que eu sempre tive com o povo de Brochier – todos me conhecem lá – estamos aqui para tentar melhorar o que nós já fizemos no controle de gastos para Brochier continuar no rumo certo.

 

O que lhe motivou a concorrer à reeleição?
Eu e minha vice, Patrícia, que está comigo. (O que) Nos motivou foram vários motivos. Eu digo, como eu estou indo à reeleição e trabalhando por quase quatro anos já a frente da Administração de Brochier, buscando melhorar e qualificar os nossos funcionários – todos eles ferrenhos parceiros –, a gente buscou uma meta muito grande que é reorganizar a Prefeitura com controle de gastos, com corte de secretarias. E isso foi um aval que vieram me pedir: “Continue! Vai à reeleição. Leva o nosso Município por mais quatro anos. Ajude a controlar os gastos do Município e a trazer melhorias como tu vem trazendo nesses últimos quatro anos”. Então, um pedido tanto dos funcionários, quanto dos amigos e conhecidos meus de Brochier, eu estou tentando a reeleição e quero esse objetivo para ajudar Brochier por mais quatro anos.

Quatro anos depois de ter assumido, o que o senhor vê de positivo e o que há para melhorar no Município?
O que a gente tem de positivo é o que a gente trabalhou. É um trabalho com honestidade, com responsabilidade, compromisso com a verdade, organizando as contas. A Prefeitura tem que controlar os gastos para poder investir em melhorias para a sua população. Então, esse é o objetivo que eu tive nesses quatro anos. Graças à organização dos gastos, a gente conseguiu dar contrapartidas a várias emendas que vieram dos nossos vereadores, que trabalharam muito bem nos quatro anos. Compramos muitos maquinários, caminhão, Ducato, construímos pontes. Tudo com recursos próprios, da economia. Esse é o legado que eu quero levar nesses próximos quatro anos, controlando, não entregando o Município por venda de cargos. Eu quero assumir o Município e manter o controle que a gente tem. Se tu não tem o controle financeiro, tu não consegue progredir. Então, esse é o objetivo daqui pra frente. Já que nós estamos com o controle nas mãos, agora, nós podemos, sim, ajudar muito mais Brochier a ir no rumo certo e crescer.

No último pleito, o senhor foi eleito numa chapa junto com o PDT. Por que houve a decisão de concorrer em uma chapa pura do Progressistas esse ano?
A decisão de concorrer numa chapa pura não foi minha. Eu não queria. A gente, desde o ano passado, vinha fazendo reuniões com consenso entre MDB, PT, PDT e PP. Todo mundo, eu digo sempre, quer o melhor pro Município. Eu entrei na reeleição por um mérito de que a gente foi cobrado pelo próprio pessoal do partido, das pessoas e dos funcionários; e eu decidi aceitar o desafio. Junto comigo, o PDT também queria ir “para a cabeça”, como a gente chama. Eu esperei até quase no fim, no último dia em que minha vice tinha para pedir licença como diretora do Estado. O meu vice-prefeito (Fernando Aurélio Braun) junto com os dois vereadores do PDT tentaram articular dentro do seu partido para a continuidade de Clauro e Fernando ou Claro e outro vice-prefeito do PDT. Eu tive que decidir. Então, a Patrícia se licenciou e eu dei a minha palavra pra ela. É uma pessoa competente, diretora de escola, já mora também há quase 30 anos em Brochier; e brochiense é aquele que trabalha por Brochier e quer o desenvolvimento de sua comunidade. Por isso, nós estamos hoje de chapa única (pura), mas não por minha vontade e, sim, por uma decisão política. A gente não quis se entregar a ceder cargos para esse partido, ceder cargos para o outro. Então, os primeiros quatro anos que eu trabalhei, eu ia me vender? Mudar o estilo de trabalho? Mudar o estilo de ideologia? Minha ideologia é honestidade, compromisso com a verdade e, por isso, estamos de chapa única (pura). Hoje estão o MDB, PDT e PT juntos por escolha deles. Eu respeito a escolha deles. Hoje um está do lado e outro de outro. Não somos adversários de briga e, sim, adversários políticos. É a época. É a política. Eles tão tentando jogar o lado deles e eu “tô” no meu. A gente trabalha sem responder críticas, sem ofensas a ninguém. E sim, pensando no que a gente fez e quer fazer de melhor, ainda, para Brochier.

Seu plano de governo prevê a criação de um chamado “Fundo Rotativo para Melhorias em Infraestrutura”. Como funcionará esse projeto?
Hoje, a gente tem o financiamento do Avançar Cidades. Brochier entrou com o pedido em 2017. Em 2018, foi aprovado. Em 2019, veio para a gente montar a licitação. Mas tudo isso, a gente conseguiu porque passa por um processo muito criterioso. A gente tem que fazer todo um planejamento, todo o projeto. Esses critérios deles são em cima da economia do Município. Isso foi comprovado através de uma Administração coerente. Hoje, nós estamos com tudo em dia; todos os pagamentos, nada sem atraso. Já demos a primeira parcela do 13º. Vamos dar a segunda agora no fim de novembro. Então, com o Avançar Cidades, a gente vai ter a contribuição de melhorias. A gente vai, com essa contribuição de melhorias, botar num fundo separado, numa conta separada, e, com essa conta, conforme os valores forem entrando, a gente vai ampliando as outras ruas urbanas do nosso Município. Vai pavimentando, colocando calçamento ou asfalto ou PAVS. Então, essa rotatividade é pra isso. Dinheiro que é de contribuição de melhorias vai para novas pavimentações, novas melhorias, e assim por diante. Tu não vai pegar aquele dinheiro e disseminar em outras atividades dentro da Administração; e sim, a melhoria vai para a melhoria.

Um problema antigo da cidade de Brochier é o alto número de caminhões que trafegam na rua principal do Centro. Como o senhor pretende solucionar isso?
A gente quer fazer uma via alternativa para desafogar esse fluxo de caminhões no Centro. E também, nós temos o nosso Plano Diretor que a gente quer implantar. Isso, eu tenho que fazer no primeiro ano de mandato, dar uma trabalhada em cima disso. Não colocamos no plano de governo do último mandato porque é uma coisa bem complexa. Então, a gente quer agora trabalhar, no próximo mandato, também no Plano Diretor e, através desse Plano Diretor, vão ter essas vias de acesso diversificadas. Tendo o Plano Diretor, nós vamos ter essas alternativas. A gente quer, também, antes, dar uma via alternativa que já tem, mais ou menos, sinalizada, que a gente vem lá do Pinheiro Machado, reto, atravessaria acima da escola EOF (EEEM Erni Oscar Fauth) e sai aqui perto do Quiosque do Anão. É uma das alternativas nossas. Temos, hoje, sim, uma via alternativa, que é pela Vila Nova. Só que as pessoas ali têm que transitar, são quatro quilômetros, mais ou menos, de estrada de chão. Mas, os caminhoneiros não usam. Como ela não está pavimentada, provavelmente é por isso que não é tão usado aquele trecho. Enquanto as pessoas não usarem a Vila Nova ou a gente não conseguir fazer essa rota alternativa vamos ainda manter, realmente, esse fluxo que tu passa dentro de Brochier e é realmente bem complicado ali. Mas vamos fazer essa via alternativa, também.

No seu plano de governo é apontado o desejo de se incentivar a criação de agroindústrias. Como o Executivo pode realizar esse incentivo?
Nós estamos já desde 2017 reunidos com Emater, Sebrae, CDL, sindicato, as instituições bancárias, os próprios funcionários da Prefeitura que estão junto com nós. Montamos um grupo de trabalho. Criamos a nossa Sala do Empreendedor, que está em funcionamento hoje; e através dessa Sala do Empreendedor, a gente “tá” dando o espaço ou o suporte, através do Sebrae, pras pessoas que querem montar as agroindústrias, incentivar eles na papelada. Hoje, uma das agroindústrias que a gente vai ter no Município vai ser a primeira agroindústrias onde vai ser fabricado suco de Brochier: suco de laranja, bergamota ou de maracujá. Está sendo feito um prédio, que a gente fez em parceria com a Câmara de Vereadores, que poupou o duodécimo deles, liberou pra nós e a gente está com o prédio quase pronto na incubadora do Município. Já conseguimos duas emendas de dois deputados, também através de vereadores. E, ao lado desse prédio, nós vamos construir mais um prédio com o valor do pré-sal, que a gente tem, para incentivar mais empresas agrícolas a virem pro Município ou para, do próprio Município, associações montarem a sua empresa agrícola e, dali, progredir. A incubadora já é pra isso. Há muito mais de dez anos, não foi feito um prédio para capacitar uma empresa, uma indústria. Esse incentivo para as agroindústrias a gente está dando e está no nosso plano de governo incentivar a criação ou a fomentação de agroindústrias.

O senhor quer deixar uma mensagem final aos eleitores de Brochier?
Brochier está no rumo certo, Brochier não pode parar; e com o apoio dos nossos funcionários públicos concursados de Brochier, se eu estou hoje como estou é por eles estarem também apoiando o nosso Município.

Deixe seu comentário