Com testes sendo realizados no laboratório da Feevale, expectativa é de que Municípios teriam resultados em até 48 horas. Foto: Divulgação/Feevale

Consórcio também busca firmar parceria com a Feevale para realização de outro procedimento

Importante meio para a compra de insumos da área da saúde para os Municípios do Vale do Caí, o Consórcio Intermunicipal do Vale do Caí (CIS-Caí) está se adaptando às necessidades dos Municípios consorciados em meio à pandemia do novo coronavírus. Nesse sentido, o consórcio está preparando a compra de testes rápidos e também busca firmar parceria com a Feevale para a realização de outro procedimento.

De acordo com o assessor jurídico do CIS-Caí, o advogado Junior Dutra, a compra dos testes rápidos depende de manifestação de todos os Municípios participantes do consórcio para se saber o montante a ser adquirido. “Quanto mais teste comprarmos, mais barato fica a unidade”, observa Dutra. A previsão do advogado é de que a encomenda desse material seja feita nos próximos dias.

Como os testes rápidos, de acordo com Dutra, têm indicação de serem usados apenas em algumas situações do paciente, o CIS-Caí também está buscando firmar um termo de cooperação com a universidade Feevale. A ideia é que a instituição de ensino superior, através do seu laboratório, auxilie os Municípios da região realizando testes conhecidos como PCR, indicados para casos diferentes do teste rápido. Conforme o advogado, firmada a parceria os Municípios fariam a coleta de material e o levariam até a Feevale, que faria os testes. “Em 24 horas ou até 48 horas os resultados estariam disponíveis”, prospecta Dutra. O assessor jurídico diz que a expectativa é que tal termo seja firmado até o final desta semana.

Sobre a compra de insumos como máscaras, luvas e aventais, Dutra revela que no início da pandemia foi mais difícil encontrar fornecedores desses materiais. “Hoje já existem várias empresas oferecendo. No entanto, os preços dispararam”, comenta. Inclusive, o advogado destaca que, num momento como o vivido atualmente, a compra em quantidade, uma das finalidades do CIS-Caí, mostra-se eficaz aos cofres públicos dos Municípios consorciados.

Presidente do CIS-Caí, o prefeito de Harmonia, Carlos Alberto Fink, diz que o consórcio está empenhado em ajudar os Municípios durante a epidemia. Ele reconhece que a compra dos testes rápidos pode ser complicada em razão da necessidade de importação e entende que o convênio com a Feevale auxiliará os Municípios a darem um retorno melhor para a comunidade. “O consórcio está aí para ajudar todos os Municípios e tentamos buscar um custo mais acessível para todos”, reforça.

Deixe seu comentário