cinco criminosos estava com revólveres e arma longa durante a ação. As vtimas tiveram as mãos amarradas

Roubo. O proprietário de um minimercado e a família foram feitos de reféns

Uma quadrilha assaltou o Minimercado do Povo, localizado na estrada Marcírio Souza Carpes, no Pesqueiro, interior de Montenegro, na manhã de terça-feira, 11. Primeiro, entraram três meliantes e anunciaram o assalto, depois mais dois. Todos estavam com revólveres e um deles com uma arma longa, possivelmente um fuzil. Ao todo, quatro pessoas foram feitas de reféns e os bandidos fugiram levando cerca de R$ 2,5 mil em dinheiro e quatro celulares. A ação toda durou cerca de 15 minutos.

O dono do estabelecimento estava na cozinha, que fica nos fundos do mercado, quando os primeiros homens chegaram, por volta das 7h30min. Pensando se tratarem de clientes, ele foi até eles com o objetivo de atendê-los. Neste momento, os criminosos anunciaram o assalto e o renderam.

Os assaltantes pediam dinheiro e armas o tempo todo. Mostrando terem informações privilegiadas, sabiam que dias antes foi realizada uma festa da igreja local e que a vítima alugava algumas peças. “Achavam que eu tinha muito dinheiro aqui, falaram que sabiam que eu tinha R$ 30 mil em casa. Mas nunca tem muito dinheiro no caixa”, afirma o comerciante.

A vítima foi levada ao segundo andar do mercado, onde mora com a família. A esposa e a filha de 18 anos estavam em casa e já estavam em poder da quadrilha. Os três tiveram as mãos amarradas com lacres e foram trancados no banheiro. O homem, durante o crime, chegou a ser agredido, mas nenhum deles ficou ferido.
Enquanto isso, a quadrilha vasculhava toda a casa e o mercado. Uma cliente que chegou durante a ação também foi rendida, teve as mãos amarradas, e foi deixada na cozinha do mercado. Ela teve o celular roubado.

Mercado fica na estrada Marcírio Souza Carpes, interior de Montenegro

Os bandidos fugiram em um carro levando o dinheiro e os celulares. Como o comércio fica bem próximo à BR-386, não conseguiram sair rapidamente pela rodovia. Eles também roubaram o aparelho que armazena as imagens das câmeras de vigilância.

As vítimas conseguiram se soltar e acionaram a Brigada Militar, que fez buscas, mas não conseguiu encontrar os criminosos. O caso foi registrado na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA).

A família tem o minimercado há 15 anos e, há 40 dias, também sofreu um assalto. Mas nesta ocasião, o assaltante chegou de moto e levou apenas o dinheiro do caixa. Nada parecido com o trauma vivido na manhã de terça-feira, quando o medo de ocorrer o pior passou pela cabeça das vítimas. “Imagina ficar preso, com uma arma apontada para a cabeça da tua filha. Foi um pavor. Graças à Deus estamos bem e vivos. O prejuízo é o de menos, o pior é o pavor e o medo que ficam”, comenta o proprietário. Durante a tarde, quando conversou com a reportagem do Ibiá, ele já estava trabalhando, demonstrando força de vontade de superar o trauma e seguir com a atividade.

Deixe seu comentário