Cardápio, e prestígio da entidade, fizeram o chá beneficente crescer

Eram 16 horas da tarde deste domingo, dia 9, e todos os 400 cartões do Chá Beneficente da Sociedade Espírita Missionários da Luz haviam sido vendidos. O salão da Capela Nossa Senhora das Graças, no bairro São João, ficou lotado e compradores que optaram em levar os comes para casa faziam fila. Um sucesso de mais de 10 anos que evidencia o prestígio que a entidade tem em Montenegro.

A vice-presidente, Regina Simões, explica que o chá sempre foi servido na própria sede da Sociedade, na Travessa João Wohlgemuth, no Centro – acesso perto da praça dos Ferroviários –, mas que acabou ficando pequena. Então há quatro anos o evento saiu deste local próprio, sendo que é o primeiro no salão da Capela Nossa Senhora das Graças.

Sociedade também tem um brechó, que reverte na compra de cestas básicas

A Sociedade Espírita Missionários da Luz tem um trabalho religioso, mas também uma forte serviço social de assistência a famílias necessitadas. Hoje são aproximadamente 25 cadastradas para receberem alimento para a alma e a para o corpo. Assim, o valor arrecadado no também tradicional brechó será investido na compra de ranchos.
O valor do chá servirá para manter a estrutura da sede.

E seguindo a vocação espiritual de ajuda aos necessitados, a Sociedade abriu espaço em seu chá para o Projeto Ducere, voltado a arrecadação de material escolar para estudantes carentes. Esta é uma iniciativa exclusiva de sete meninas, amigas e colegas no 6º Ano do Instituto de Educação São José. Domingo elas apenas vendiam lápis – por R$ 2,00 – e falavam sobre sua ação social.

Mas o trabalho do grupo inclui divulgação pelas escolas em Montenegro, especialmente nos bairros, além da arrecadação de material ou de valores em dinheiro. A doação pode ser única ou através de uma assinatura mensal que parte de R$ 5,00 descontado em cartão de crédito. Informações e associação pelas redes sociais Facebook ou Instagram – com o nome projetoducere -, ou pelo site www.catarse.me/projetoducere.

Meninas ganharam espaço para divulgar e arrecadar material escolas com seu Projeto Ducere

Deixe seu comentário