E finalmente chegaram as festas de fim de ano. Nessa época, durante as confraternizações entre amigos e familiares, é comum encontrar mesas fartas de carnes de todo tipo, como perus, porcos e frangos, por exemplo. Enquanto algumas pessoas esperam ansiosas pelos tradicionais pratos de Natal, existem aquelas que preferem passar longe deles. Mas afinal de contas, é possível fazer uma ceia sem alimentos de origem animal e, é claro, sem abrir mão do sabor? A montenegrina Taissa Viana, proprietária e cozinheira da Verde Soul, uma empresa regional de produtos veganos, afirma que sim.
Quando o assunto é alimentação, Taissa e sua família elevam o debate para outro patamar. Preocupados não só com a origem daquilo de comem, eles também defendem uma forma de consumo mais consciente e ecologicamente correta, e foi pensando nisso, que há 3 anos são veganos e 5 vegetarianos. “Me tornei vegetariana em um primeiro momento por sempre preferir deixar a carne de lado no meu prato e pelas questões animais”, explica.

“Depois, aos poucos, fui me apropriando das questões de saúde e meio ambiente, que também são muito importantes. A indústria agropecuária polui demais e usa muitos recursos que não são renováveis, e isso precisa ser levado em conta, pois as consequências de não nos importarmos com as questões do meio ambiente já estão em evidência”, alerta Taisse, se referindo aos problemas ambientais e sociais causados pelas atividades industriais.

Até o nascimento do primeiro filho, o Ziggy, que hoje tem 3 anos e 3 meses, ela e o esposo Arthur Texeira, eram vegetarianos. “O Ziggy é alérgico a proteína do leite e seus derivados, e para que ele não fosse o único em nossa família que não comia esses ingredientes, fomos nos tornando veganos aos poucos”, explica Taisse, que mais tarde teve a Zoe – atualmente com 2 anos e 9 meses – que é veganinha desde a gestação e nunca ingeriu nenhum ingrediente de origem animal.

Para quem está acostumado com aquelas ceias repletas de carnes e seus derivados, é difícil imaginar receitas sem essas opções, mas para a Taissa, a variedade é que torna tudo mais legal. Que tal um “saladão” estilo salpicão? A receita é simples. “Coloco dentro tudo que combina e tem de gostoso de verduras e legumes, até umas castanhas e frutas secas combinam”, explica Taissa, que depois faz uma maionese de castanha de caju e, pronto, está pronta uma salada quem lembra a tradicional salpicão.

Primeiro Natal vegano da família de Taissa Viana

Outras ideias de pratos também simples são os petiscos de canudinhos. Existem vários que não levam nem leite nem ovos, e para rechear, basta refogar uns legumes picados e temperar com ervas. “Fica um lanchinho super acessível para quem não tem muito contato com comidas veganas”, ressalta. “Também gostamos muito de fazer seitan [conhecido como carne vegetal, é um alimento derivado do glúten] com legumes.”

Inclusão alimentar

No período de festas de fim de ano, para quem é vegetariano ou vegano é quase um desafio se alimentar. Para não perder os momentos especiais que essa época proporciona, Taisse sempre busca planejar a comida, mas também conta com a empatia dos familiares que consomem produtos de origem animal.
“Onde vamos, as pessoas tentam nos incluir nas refeições e é bastante simples fazer isso. Não precisa colocar bacon na farofa, ou quem faz salada de maionese pode tentar fazer com uma maionese de abacate ou de sementes”, disse a montenegrina. “O mais difícil são os estabelecimentos da cidade que não têm muitas opções decentes, assim, os vegetarianos e veganos normalmente acabam comento batata fritas”, lamenta Taissa.

Deixe seu comentário