MEDIDAS de isolamento tinham cancelado a realização dos eventos

As medidas de isolamento social em função da pandemia de coronavírus mudaram a rotina de todos, não há dúvidas. Não poder abraçar, não poder visitar, não poder estar perto pode ser bastante difícil; mas um gesto realizado na tarde deste sábado, 2 de maio, em Montenegro, mostra que, onde há amor e criatividade, a distância obrigatória se torna mero detalhe.

Aconteceu no Centro, na rua João Pessoa, próximo da rodoviária. O casal Lisandra Kerber e Élton Renner olhava um filme em seu apartamento quando foram surpreendidos por um buzinaço do lado de fora. Quem era? Seu próprio chá de bebê surpresa sendo promovido em formato de carreata. Pura emoção!

Lisandra está a semanas da chegada de sua filha, a Laura, e não pode ter o tradicional ritual do chá pelas orientações dos órgãos de saúde. Mas seus amigos e familiares não poderiam deixar a data passar em branco. “É emocionante e inexplicável saber que a gente tem amigos e família com quem podemos contar nesses momentos”, declarou ela à reportagem, ao final dos festejos.

Ao verem o movimento, ela e o esposo desceram para a frente do prédio onde moram, onde estava uma caixa, toda decorada com o nomezinho da Laura. Aí cada um dos “convidados” foi passando, com carros enfeitados com balões e letreiros, largando seu presente na caixa e cumprimentando, à distância, os futuros papais.

Foram mais de vinte veículos reunidos, além dos vizinhos, que foram todos às janelas presenciar a ação. E uma presença mais do que especial estava logo entre os primeiros da fila de carros. Tomando os devidos cuidados, dona Nelci Fritch, de 82 anos de idade, não pode deixar de homenagear o nascimento de sua primeira bisneta menina. Ela ainda levou um presente cheio de significado. “É uma oração que eu costurei para ela botar no quartinho”, contou, ao entregar o mimo.

Bisavó da bebê, Nelci Fritch levou um presente especial e não deixou de marcar presença

A Laura chega entre o fim deste mês e o início de junho. VEJA MAIS FOTOS NA GALERIA A SEGUIR

A primeira “Chárreata” da cidade foi realizada em abril
O casal da rua João Pessoa não foi o único. Programado para o dia 5 de abril, o chá de bebê do casal Lisilene Mello da Silveira e Vinícius Vendrusculo também teve que ser cancelado devido à pandemia do novo coronavírus. Três semanas mais tarde, eles foram surpreendidos por amigos e familiares da mesma forma.

No dia 26 do último mês, amigos do casal se organizaram para realizar a “charreata” e celebrar a chegada de Matias, que está prevista para junho. A ideia inicial consistia em um casal recolher os presentes de cada amigo e familiar, e levar para Lisilene e Vinícius no portão da residência. “O pessoal achou que era muito pouco, queriam me ver, mesmo que fosse de longe. Como funcionou a organização a gente não sabe, porque foi surpresa mesmo”, relata Lisilene.

Mas não foi fácil. O pai já sabia do evento, só que havia um problema. Lisi costuma visitar sua mãe nas tardes de domingo – com máscara e todos os cuidados necessários – e precisava ser mantida em casa. “Tentei convencer ela a não visitar, mas ela não quis. Tive que inventar que o carro havia estragado, então ela não podia sair. Falei também que minha avó queria muito ver ela grávida e meus pais a trariam dentro do carro para ver a barriga da Lisi ali na frente de casa. Então, ela se arrumou. Estávamos esperando a minha avó chegar, e nisso chegou a charreata dos amigos e familiares”, recorda Vinícius.

Amigos e familiares surpreenderam Vinícius e Lisilene com uma charreata ainda no final do mês de abril. Fotos: arquivo pessoal

Os carros foram enfeitados e passaram na frente da casa, no Timbaúva, com balões, frases de boas-vindas ao Matias e claro, presentes. O primeiro veículo possuía uma caixa de som reproduzindo músicas infantis. O segundo deixou uma caixa enorme, toda decorada. A partir daí, cada veículo que passava, parava em frente à residência e, assim como ocorreu neste domingo, o passageiro descia do carro e largava o presente.

“O pessoal deixava o presente e nos abanava, fazia sinais. Todos usando máscaras. Mesmo com esse distanciamento devido à pandemia, essas pessoas tiveram essa coragem de organizar um evento tão bonito. Ter um pouco de luz e alegria no meio disso tudo é muito bom. Foi muito emocionante”, enaltece Lisilene.

Lisilene acompanha, emocionada, a passagem dos carros em frente a sua casa

A futura mamãe destaca a força da humanidade em proporcionar momentos tão especiais como esse. “É o nosso primeiro filho. No meio de uma pandemia, pode muitas vezes passar pela nossa cabeça: será que é o momento certo de trazer uma vida ao mundo? Com tantas incertezas… Quando vemos gestos assim, percebemos que realmente cada bebê vem no momento certo para vir”, completa. (MF)

Deixe seu comentário