Carla Moura e Cristiane Krein diariamente preparam refeições do Colégio Polivalente

Os produtos estarão na mesa dos alunos a partir de 2020

O ovo in natura, o doce de leite e até a erva-mate serão oficialmente parte do cardápio escolar da Rede Estadual de Ensino a partir do próximo ano. Em leis sancionadas pelo Governador do Estado do Rio Grande do Sul Eduardo Leite, os alimentos estarão presentes na alimentação dos alunos do Estado.

O projeto de Lei 385/2006 incluir o doce de leite foi proposto pelo deputado Edson Brum (MDB), e foi aprovado por 33 votos a favor e 11 contra. Já a Lei 264/2013 do deputado Ernani Polo (PP) inclui o ovo in natura, desidratado e seus derivados no cardápio, e segundo ele o consumo diário desse alimento previne diversas doenças, como a degeneração macular, principal causa da cegueira no Brasil e no mundo. Os dois foram sancionados no último mês, porém na última quarta-feira, 2, a erva-mate, indispensável aos gaúchos, também foi incluída.

A Lei 68/2018, do deputado Gilberto Capoani, foi muito debatida e de acordo com o legislador a erva-mate contém cafeína em quantidades importantes, bem como antioxidantes, potássio, aminoácido e vitaminas. Na sua justificativa o consumo traz muitos benefícios para a saúde.

As leis apesar de sancionadas agora, serão efetivadas a partir de 2020. De acordo com a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) o cardápio de Alimentação Escolar é elaborado anualmente. “Ainda estão sendo estudados os modos de inclusão dos novos elementos na lista das refeições dos estudantes. Atualmente, os cardápios são planejados de acordo com a cultura da região, sazonalidade e preferência alimentar dos alunos de cada Coordenadoria Regional de Educação (CRE)”, explica a Seduc.

Segundo a pasta responsável, a elaboração do cardápio é feita de acordo com o preconizado na lei nº 11.947/2009, de modo a garantir as necessidades nutricionais dos educandos. “A legislação vigente determina ainda que cardápio deve ser elaborado pela nutricionista da entidade executora com oferta de alimentos básicos da região, três porções de frutas e hortaliças, e até duas vezes na semana de porções de doces”, conclui.

Erva-mate é um dos alimentos que estão na lista. Foto: reprodução internet

Quem prepara os alimentos
Quando bate o sinal do intervalo os alunos seguem em direção ao refeitório já pensando em qual delícia os espera. Os ingredientes sancionados em lei serão preparados junto com outros produtos para formar um bolo ou recheio de pão e isso tudo é realizado pelas mãos cuidadosas de merendeiras.
As serventes Carla Moura, e Cristiane Krein, do Colégio Estadual Dr. Paulo Ribeiro Campos – Polivalente de Montenegro já possuem uma vasta experiência com a preparação de alimentos para escolas. Segundo elas, o doce de leite e o ovo in natura já estão incluídos no cardápio atualmente, mas a erva-mate causa uma estranheza.

“Tem a licitação e a chamada pública, e vários agricultures familiares se inscrevem e depois recebemos os seus produtos”, explicam elas. Elas contam que o doce de leite geralmente é colocado no pão, e que o ovo pode ser servido de diversas maneiras como omelete e no bolo.

“Quando a gente precisa fazer um bolo ou alguma coisa assim antes vinha tudo pronto, agora não, vêm a farinha, o ovo, o leite e nós preparamos. Dá mais trabalho, mas é muito mais gostoso”, conta Cristiane. Ela relata que recebem um cardápio de inverno e de verão para seguir, mas que às vezes precisam improvisar. “Nós tentamos seguir, mas tem vezes que não conseguimos fazer o do dia, porque o fornecedor não trouxe, ou a licitação atrasa, então trocamos o dia do alimento”, diz a merendeira.

Na beira do fogo desde cedo, as duas se empenham para garantir o agrado dos alunos, mas contam que eles gostam de todas as comidas sempre. Sobre a erva-mate as duas não têm ideia de como será preparada ainda, mas estão dispostas a arriscar. “Com a erva-ate nunca preparamos nada, só em semana farroupilha com o chimarrão. Esse é um ingrediente diferente, e quando eles mandam alguma coisa diferente geralmente vem uma receita junto”, fala Cristiane.

Deixe seu comentário