Caminhada culminou com ato no local do acidente

Na terça-feira, 5, completa-se um mês da trágica e prematura morte de Kellen Bock. A jovem de 18 anos foi morta quando um veículo Astra colidiu contra a moto que ela pilotava, na Trancitrus, em Campo do Meio. Para homenagear a jovem, clamar por justiça e incentivar a paz no trânsito, a comunidade realizou uma caminhada na tarde desse domingo.

Cerca de 100 pessoas vestiram camisetas com a foto de Kellen, alguns portavam cartazes, outros carregavam balões. Todos ainda traziam nos olhos a tristeza pela morte da filha, neta, amiga, colega ou conhecida. O pai de Kellen, Marton Bock, conta que eles ainda não conseguiram assimilar a perda da filha, mas que o fato do condutor responsável pelo acidente ainda estar preso traz alento. “É algum conforto. Quero que ele pense, que reflita sobre o que ele fez. Porque nada trará minha filha de volta”, diz Marton. A caminhada saiu da Sociedade de Campo do Meio e culminou com um ato no local do acidente.

Na tarde do último dia 5 de novembro, Kellen conduzia uma Honda Biz no sentido Montenegro-Campo do Meio quando, a aproximadamente 100 metros do acesso à BR-470, em uma curva, o Astra invadiu a pista contrária e atingiu em cheio a moto. O condutor do carro era Evandro Weber, de 22 anos, que não possuía CNH, estava embriagado, fugiu do local sem prestar socorro e ainda tentou forjar um furto do veículo para escapar da responsabilidade. Ele segue preso na Penitenciária Modulada de Montenegro.

Deixe seu comentário