buraco, fissura, Daer, RSC-287, conservação, problema
Buracos e fissuras no trecho montenegrino da RSC-287 só aumentam à medida que mais carros e caminhões passam pelo local

Estrutura. Asfalto em mau estado coloca motoristas em risco e danifica carros

Ainda nem foi resolvida adequadamente a falha na cabeceira da ponte seca sobre o antigo leito da viação férrea, na RSC-287, entre os bairros Rui Barbosa e Centenário, e novos problemas se acumulam no trecho urbano da rodovia estadual. Desde que fortes chuvas atingiram o Vale do Caí no mês de junho, fissuras no asfalto foram crescendo e deram origem a dois buracos de vulto na pista do sentido Montenegro-Capela de Santana, na altura do Parque Centenário. O pior é que, devido ao tamanho e à forma como estão dispostos, não há como um veículo passar sem que atinja ao menos um deles. Em um efeito “bola de neve”, quanto mais carros, caminhões e ônibus caem nessas falhas da via, mais elas crescem.

Ao realizar o registro fotográfico dos buracos na tarde de ontem, o Jornal Ibiá percebeu que alguns condutores se arriscam desviando pela faixa contrária, embora ali seja faixa contínua, ou seja, local de ultrapassagem proibida. Mesma situação tem se verificado na ponte seca da antiga linha férrea, onde o último tapa-buracos foi suficiente apenas para minimizar os problemas por alguns dias.

Professor de Engenharia na Unisinos e na Imed Porto Alegre, o engenheiro Felipe Souza avalia que a 287 precisa de uma avaliação completa e de um programa de gestão de pavimento com cronograma de manutenção corretiva e, depois, preventiva. “São panelas com remendos deficientes e pavimento fissurado nas proximidades. É necessário, ao que tudo indica, fazer uma fresagem [raspagem do pavimento antigo] e colocar nova camada de CBUQ”, aponta.

Responsável pela manutenção da estrada, o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) há anos não efetua obras de recuperação no trecho desde a base. Apenas tapa-buracos ocorrem — às vezes apenas com asfalto frio, de menor durabilidade. O descaso do governo estadual em relação à RSC-287 também se revela no jogo de empurra ante as medidas para que pedestres e veículos tenham mais segurança ao atravessar a rodovia, como a colocação de sinaleiras e rótulas nos bairros Santo Antônio e Panorama.

Contatado ontem pelo Ibiá, o órgão informou, por meio de nota, que “estão programados serviços de manutenção asfáltica para esta semana”. Com relação ao mau estado das vias laterais que dão acesso à estação rodoviária de Montenegro, o Daer disse que “será reforçado” por uma empresa que possui contrato de conserva rotineira com a 11ª Superintendência Regional, de Lajeado. “Os serviços serão de reperfilagem com concreto betuminoso usinado a quente (CBUQ)”, assegurou a autarquia.

O Número
Ao longo deste ano, o governo estadual planeja investir R$ 516,7 milhões na malha rodoviária. Do total orçado, estão previstos R$ 300 milhões para ações de restauração e R$ 60,7 milhões para conservação das rodovias administradas pelo Daer. As três áreas que mais concentram investimentos são o Programa Restauro (R$ 108,6 milhões), o Contrato de Restauração e Manutenção de Rodovias (Crema) Passo Fundo (R$ 103,8 milhões) e Acessos Municipais (R$ 94,9 milhões).

Deixe seu comentário