Produto local vem garantindo lugar no mercado exterior já há alguns anos. Procura cresceu no ano passado

EM 2019, receita com o mercado externo foi de US$ 915 mil

O carvão produzido em Brochier vem ganhando o mundo já há alguns anos. Dados do Ministério da Economia mostram que, entre 2015 e 2018, as receitas com a comercialização do produto ao mercado externo vêm atingindo a média de US$ 658,5 mil.

E com a recente divulgação do fechamento de 2019, a situação se mostra melhor ainda. A exportação do carvão brochiense faturou o montante de US$ 915 mil no decorrer do ano. É um crescimento de 26,58% na comparação com 2018.

Quem absorve mais de 95% da oferta é os Estados Unidos, especialmente os estados da Costa Leste. Conforme o empresário Elias Rossi, dono de uma das exportadoras que trabalha com o produto de Brochier, os principais clientes norte-americanos são estabelecimentos do ramo da alimentação. Eles usam o carvão local para produzir os alimentos servidos aos seus clientes.

Conforme o exportador, o produto brochiense é comprado e embalado com a marca Assatudo, em um modelo de negócios que começou ainda em 2002. “Quando a gente entrou nos Estados Unidos, havia outras marcas de carvão. Então, a gente trabalhou muito em cima dessa marca que a gente criou. Conseguimos uma fatia de mercado e fomos alavancando”, conta. A Assatudo, hoje, é bastante reconhecida.

Além dela, a exportadora também já envia carvão com outras dez marcas terceirizadas – nenhuma da região. É que trabalha com produto proveniente não só de Brochier, mas também de municípios de Minas Gerais, o estado que mais produção carvão no Brasil.

E apesar de priorizar a demanda dos Estados Unidos, já vendeu para países como Coréia, Canadá e o Bahrein. “E eu já tenho um projeto para Israel”, adianta o empresário, apresentando o potencial de ainda mais negócios com os brochienses.

Com matriz em Porto Alegre, a exportadora de Rossi se prepara para mudar toda a parte administrativa para Brochier ainda neste ano. A filial que já tem no município, então, passará para Minas Gerais, visando facilidade logística. Com o produto daqui, a expectativa é de alta nas vendas neste 2020.

Deixe seu comentário