Uma discussão entre moradores acabou em um crime bárbaro na Vila São Francisco, na localidade de Barreto, interior de Triunfo. A dona de casa Mirian Ribeiro Pereira, de 52 anos, e os filhos Valquíria, de 30; Valeria, de 28; e João Paulo Pereira Borges, de 21, foram mortos com golpes de faca.

O crime ocorreu por volta das 11h30min dessa quarta-feira, 9. O principal suspeito é Deoclides da Silva, de 45 anos, vizinho das vítimas, que está foragido. As buscas iniciaram logo após o assassinato, mas, até o fechamento desta edição, ele ainda não havia sido localizado. Duas crianças e um adolescente, que estavam dentro de casa, conseguiram fugir antes de serem atacadas

Deoclides da Silva é o acusado pelo homicídio da família e está sendo procurado pela polícia

As mortes chocaram os moradores da Vila São Francisco. Abaladas, as pessoas abordadas pela reportagem não quiseram dar entrevista, mas relataram que a convivência com a família de Mirian era tranquila. Os moradores também disseram que Deoclides sentia-se incomodado com as festas realizadas pela família de Mirian e pelo som alto. Inclusive, o homem já teria ameaçado os vizinhos e, na manhã do crime, voltou a discutir com a mulher e seus filhos.

De acordo com o delegado de Triunfo, Lucio Melo, ontem aconteceu outro desentendimento entre as partes. Na sequência, Silva entrou em casa e retornou para a rua portando uma faca. As três mulheres foram assassinadas na frente de casa. João Paulo tentou se proteger no interior da moradia, mas foi morto ao segurar a porta para evitar que o homem invadisse. “Segundo o que a gente apurou até agora, ouvindo as testemunhas e pela vítima que conseguiu escapar, eles tinham discussões banais por questões de som e de vizinhança e hoje teve esse desfecho”, relatou o delegado.

No momento do crime, o marido de Mirian estava viajando a trabalho. Colegas levaram o homem até sua casa, mas não o informaram sobre o crime. Ele só soube da tragédia quando viu os corpos. O desespero tomou conta de todos os parentes que foram até o local.

O aposentado Adão Pereira, 71 anos, relata que trabalhou com o suspeito e que nunca imaginou que ele pudesse ser capaz de cometer um crime como este. “Não dava para imaginar uma coisa dessas. Trabalhamos muito tempo juntos e até hoje ele passava por mim e cumprimentava. Parecia um homem tranquilo”, diz o cidadão.

A Polícia segue nas buscas pelo suspeito e pede a quem tiver qualquer informação que entre em contato pelos telefones 190 ou 197. A perícia esteve no local e fez o recolhimento dos corpos. A previsão é que o sepultamento ocorra ainda hoje.

Deixe seu comentário