Capitão Suzin destaca o serviço preventivo realizado pela Brigada

Apesar do déficit no efetivo, 941 pessoas foram presas ao longo de 2016

Muito se fala em crise na Segurança Pública, com déficit de efetivos e salários parcelados, e no resultado que tudo isso traz à população com uma onda de criminalidade. Se essas são verdades preocupantes, também é salutar observar o emprenho dos servidores que seguem na linha de frente. Mesmo com todos os problemas, em 2016, os agentes do 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM) realizaram 941 prisões em sua área de cobertura.

Isso representa uma média de 2,57 detenções por dia, ou ainda 78,41 em cada mês, conforme cálculo do capitão Oscar Bessi Filho. Ele observa que, somente em janeiro deste ano, as tropas da 1ª e da 2ª Cia registraram 87 prisões (2,9 ao dia). A maior parcela destas ocorrências de 2016 foi registrada em Montenegro: 626 prisões em uma única cidade. E janeiro deste ano segue no mesmo ritmo, fechando com 59 prisões na área. As detenções mais comuns envolvem furtos e tráfico de drogas.

O comandante da 1ª Companhia do 5º BPM, capitão Luís Henrique Suzin, atribui o bom resultado ao tripé Serviço de Inteligência, Ações Focadas e Apoio da Comunidade em geral. Ele explica que a Operação Avante – deflagrada em todo o Estado – cruza números e tipificações de crimes com bairros de maior incidência. E é em cima desta planilha que são planejadas as ações de patrulhamento ostensivo, com foco específico em tipo de crime e região.

“Com isso, se consegue ter um trabalho mais eficaz com o pouco que tem à disposição”, declarou. Somam-se ao empenho, ferramentas externas como o videomonitoramento nas ruas. O sistema garante resposta imediata e produção de provas através da gravação. Hoje apenas Montenegro possui seis câmeras no Centro. Mas o projeto desenvolvido no 5º BPM é ampliar a rede, criando um cercamento eletrônico na região.

É neste momento que entra em cena a figura dos prefeitos, parceiros de primeira hora da PM. Suzin explica que o projeto junto às Administrações prevê a instituição de um consórcio regional para aquisição conjunta do equipamento. Isso iria reduzir o custo coletivo. “É uma forma (câmeras) de estarmos em muitos locais ao mesmo tempo”, afirma, ao garantir que será fundamental nas estratégias de policiamento.

Todo esforço direcionado no combate ao tráfico
Ao observar a lista de crimes priorizados pela Brigada (veja tabela), percebe-se a ausência do tráfico de drogas. Apesar de ser a maior incidência entre as prisões, este ilícito surge como pano de fundo. O capitão Suzin explica que a negociação entre um traficante e um viciado na porta de uma “boca de fumo” não afeta diretamente ao cidadão.
Todavia, os efeitos indiretos desta ação – como o furto e o roubo praticados pelo usuário para sustentar seu vício – afetam a comunidade. A guerra armada na disputa por territórios do tráfico também é uma consequência nociva. A estratégia da PM consiste em focar nos delitos diretos ao cidadão e, através deles, chegar ao ciclo da venda de entorpecentes.

Área de cobertura do 5º BPM
1ª Cia. – Montenegro, Pareci Novo, Brochier, Matará
2ª Cia. – Triunfo, Salvador do Sul, São Pedro da Serra, Barão, São José do Sul, Pólo Petroquímico

Contate o 5º BPM
Telefone de Emergência 190
Pela Internet – www.5bpmmontenegro.com.br – onde está disponível acesso a pessoas com deficiência vocal e auditiva através do link 190 Acessível – Promovendo a Inclusão
Telefone comercial – 3632-4436

Grupo de crimes prioritários

– homicídio doloso
– roubo a estabelecimentos comerciais, financeiros e de ensino
– roubo a pedestre
– roubo de veículo
– roubo no transporte público
– furto qualificado
– estupro
– abigeato

O número
Conforme estatística da Secretaria de Segurança Pública (SSP), em 2016, Montenegro registrou 144 ocorrências de posse e 102 prisões por tráfico de entorpecentes

Parceria da comunidade é fundamental no policiamento

Capitão Suzin falou ainda da integração com Poder Judiciário e setores da economia local. E finalizou assinalando a contribuição decisiva dos próprios cidadãos, com denúncias e informações através do Telefone de Emergência 190. Inclusive, neste veraneio de 2017, o 5º BPM implantou um piloto do projeto “Vizinho Solidário”. Ele prevê que o morador que sair de férias, ou deixar seu lar por um final de semana, informe seu vizinho e peça que fique atento.
Ao perceber pessoas estranhas em atitude suspeita, o morador deve informar imediatamente a Brigada. O comandante afirma que os resultados são excelentes nos bairros São Paulo e Panorama, primeiros a receber o Vizinho Solidário. Outro sistema que está funcionando bem é o aplicativo WhatsApp. O Batalhão criou grupos nos setores comércio e bancos, através dos quais todos trocam informações e orientações.

Deixe seu comentário