Colheita simbólica das primeiras bergamotas Pareci foi feita por autoridades e pela família Rocha, anfitriã do evento, na propriedade localizada no Coqueiral

Ato simbólico aconteceu na localidade de Coqueiral e reuniu apreciadores da fruta

Bergamota Caí e bergamota Montenegrina. Ambas possuem um dia especial dedicado à abertura da colheita. Pensando nisso, Pareci Novo lançou a Abertura da Safra da Bergamota Pareci. O nome da fruta, registrado na Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), é a marca do tipo de bergamota colhido em julho, após a colheita da Caí e antecedendo a Montenegrina.

O primeiro lançamento da colheita da bergamota Pareci ocorreu na tarde dessa terça-feira, 9. Não podia ser mais apropriado o local da festa, que aconteceu na propriedade da família Rocha, de onde saem os produtos da marca Novo Citrus, em Coqueiral. Hoje, são fabricados cerca de 34 produtos a base de citros, entre eles sucos, geleias, molhos, biomassa e mousses.

Com a presença de autoridades, Emater, produtores rurais e demais convidados, os proprietários saudaram o público e contaram um pouco da história da Novo Citrus. Após os atos formais, trator, gaiteiro, soberanas e o mascote Citrinho guiaram o público até o pomar. Os raios de sol que atravessavam as árvores iluminaram o ponto alto da tarde: a colheita das primeiras bergamotas Pareci.

A comunidade também acompanhou a plantação de algumas árvores da bergamota símbolo da cidade. A primeira muda a ir ao solo foi batizada de Prefeito Oregino, a qual foi plantada pelo próprio chefe do poder Executivo de Pareci Novo, Oregino José Francisco (PDT). As soberanas e escolas do município também plantaram algumas mudas, batizadas com seus nomes.

O encerramento da festa não podia ser melhor, pois aconteceu ao redor de uma grande mesa repleta de deliciosas receitas, a maioria com bergamotas. Cucas, geleias, bolos, cascas cristalizadas de laranja e gomos de bergamota banhados em chocolate foram alguns dos pratos servidos.

Conforme o prefeito Oregino, o ato simbólico realizado na cidade é o primeiro de muitos. “Queremos valorizar o produtor e o nosso produto. Essa valorização também está na instalação das placas de sinalização turística e na melhora das estradas que dão acesso às propriedades rurais”, destaca o chefe do Executivo. Além disso, Oregino afirma que em breve a comunidade de Coqueiral receberá a instalação de Fibra Ótica e uma câmera de monitoramento para levar ao homem do campo a mesma qualidade de vida que existe na cidade.

Um pouco da história da Novo Citrus
Quem conhecia o abandono da propriedade rural adquirida por Willian Rocha, em 1993, não imaginava que poderia se tornar um grande pomar produtor de 150 toneladas de bergamotas, laranjas e limões. “A nossa expectativa é colher cerca de seis mil caixas de 10 variedades de citrus”, diz Willian Rada da Rocha, proprietário da Novo Citrus. Ele e a esposa Maria Helena da Rocha deixaram seus empregos, no Polo Petroquímico, e partiram para a agricultura.

Nos primeiros meses seguiram algumas recomendações para o início da produção, mas usar agrotóxicos não estava agradando o casal. “Decidimos recomeçar tudo e apostar na agroecologia. Pesquisando passamos a cultivar frutas sem veneno”, aponta Rocha. Com os produtos fresquinhos, a família fazia feira em Porto Alegre.

Maria Helena, de origem alemã, produzia schimier para vender na Capital. Foi quando o negócio começou a crescer. “Entre 1996 e 1998 fazíamos tudo em forno artesanal. Em 1997 cozinhamos três mil potes de schimier no forno de barro que eu construí. No ano seguinte abrimos a agroindústria”, revela Rocha.

Willian e Maria Helena são empregadores. Hoje, em época de colheita, a agroindústria emprega 12 pessoas e durante o ano cinco pessoas trabalham efetivamente no local.

A partir dos investimentos e da produção exemplar dos citrus, a empresa iniciou suas participações em feiras, inclusive em eventos na Alemanha e na Itália. Neste ano o empreendimento também passou a fazer parte do novo Circuito Turístico Caminho do Coração.

Deixe seu comentário