Seca deixará sequelas por longo prazo. Foto: Arquivo Jornal Ibiá

De acordo com os representantes bancários presentes em reunião nesta semana, ainda existem pendências a serem implementadas nos sistemas das agências para que seja cumprido o auxílio aos agricultores atingidos pela seca. Na semana passada, o Ministério da Agricultura (MAPA) anunciou novas medidas em apoio ao setor agrícola, especialmente a agricultura familiar, que assistem também aqueles afetados pela passagem de um ciclone bomba (entre os dias 30 de junho e 1° de julho).

No entanto, as instituições de crédito Banrisul, Banco do Brasil e Sicredi lembraram que já estão atendendo e com linhas de crédito disponíveis. A videoconferência promovida pela Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural contou com presença do secretário de Agricultura Familiar e Cooperativismo do Ministério, Fernando Schwanke, e representantes da Famurs, sindicatos de trabalhadores rurais e Fetag, e a Emater.

Já os recursos específicos da resolução são destinados aos produtores enquadrados no Pronaf, com crédito de custeio e investimento com as taxas de juros mais baixas aplicadas ao programa (2,75% a.a.), no decorrer de todo o ano agrícola 2020/2021. O Conselho autorizou que os bancos renegociem as parcelas e as operações de crédito rural de custeio e de investimento, vencidas ou vincendas em 2020, inclusive aquelas que já prorrogadas antes, contratadas pelos produtores ou cooperativas que tiveram prejuízos em decorrência da seca ou estiagem.

A resolução do Mapa amplia o acesso de 115 municípios que tiveram decretos de emergência homologados pelo Governo do Estado depois do dia 10 de abril às medidas relacionadas a estiagem.

Deixe seu comentário