Agências bancárias estão se prevenindo para evitar o contágio do vírus

Agências distribuem álcool gel e evitam filas para atendimento

Em Montenegro, chegou a vez das agências bancárias adotarem algumas medidas para evitar o contágio do coronavírus, a Covid-19. Mesmo com todo cuidado que estão tendo com seus clientes, deve-se alertar ao fato de que as agências têm incentivado a comunidade ao uso das redes alternativas e virtuais que disponibilizam. Seja através de telefone, site ou aplicativo online, a maioria das questões a serem resolvidas podem ser realizadas de forma virtual.

As agências locais já possuem álcool gel não apenas nas mesas de cada funcionário, mas também na entrada dos bancos, reforçando a necessidade da higienização constante das mãos. Ainda, é de extrema importância salientar que em todos os bancos os funcionários do grupo de risco já estão afastados do local de trabalho. Outra ação tomada pela maioria das agências é o afastamento das cadeiras para atendimento. Durante a espera, os clientes ficam à uma boa distância uns dos outros, evitando proximidade.

Banco do Brasil está de portas abertas como forma de prevenção

Medidas adotadas pelos bancos
Banrisul
A gerente de mercado Monique Lanzoni explica que estão sendo liberados poucos clientes por vez para entrar na agência. “Assim a gente evita aglomeração de gente lá dentro. Entra um cliente por atendente e mais um para a espera. Nada mais”, pontua. Além disso, o banco está de portas abertas: Nada de ar condicionado. Ainda, assistentes usam luvas e álcool gel durante o expediente.

Caixa Econômica Federal
O gerente Tito Livio Fauth Filho explica que a capacidade de pessoas dentro da unidade está sendo cortada pela metade. Só entram 25 clientes por vez, que serão orientados a sentarem distantes uns dos outros. No autoatendimento também haverá limite de distanciamento de um cliente para outro. Ainda, visando atender as pessoas no grupo de risco, a agência está abrindo um horário extra: das 10h às 11h.

Banco do Brasil
As portas são mantidas abertas. A gerente geral Caroline de Sousa Rodrigues conta que reuniões que antes eram presenciais com membros da equipe, agora estão ocorrendo através de vídeo e áudio. Caroline explica que ainda não estão realizando triagem para coordenar o número de pessoas que entra na agência, mas que isso pode vir a ocorrer. “Quando for alertado que é transmissão comuntária, o acesso será restringido e liberado em quantidades menores. O horário também muda e por aí vai. Estamos realizando modificações conforme acompanhamos as notícias. Estamos muito ligados”, afirma.

Bradesco
O gerente Murilo Moyses também afirma que a triagem está nos planos da empresa. “O banco não vai fechar. Mas conforme as coisas vão se desenrolando vamos liberar de 5 em 5 pessoas, ou 10 em 10. Realizar a triagem com horário de abertura mais cedo também”, ressalta. Ele comenta que o sistema de audioconferência tem auxiliado muito no andamento correto diante da situação do vírus e fluxo de pessoas.

Santander
O gerente Luciano Torres pontua que o distanciamento realizado entre as cadeiras é essencial. Ela comenta, ainda, que já não é possível a entrada de mais de dez pessoas por vez na agência.

Deixe seu comentário