“Bah! Mas que palavra mais bagual, heim?!” Essas três letras compõem uma das expressões mais polivalentes da Língua Portuguesa e uma das maiores características da cultura gaúcha. Mas o que é o “bah”, afinal?

Alguns dicionários classificam o “bah” como uma abreviatura da expressão “barbaridade”, que teria se incorporado, ao longo da história, no vocabulário gaudério. A professora do curso de letras da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), Dra. Cristiane Dall Cortivo Lebler, explica que o “bah” pode ser classificado como uma forma linguística que integra o dialeto gaúcho. “Um dialeto não é nada mais do que uma variedade linguística, ou seja, um termo que designa o modo de falar de determinada região ou de determinado lugar. Podemos dizer, de um modo bem generalista, que os falantes do Rio Grande do Sul compartilham um mesmo dialeto”.

Além disso, o “bah” pode ser classificado como um regionalismo linguístico, uma palavra que expressa de modo autêntico a cultura local. “Ela funciona como uma marca da identidade territorial e se transformou em um índice a partir do qual os gaúchos reivindicam seu pertencimento a essa região”. Hoje o “bah” pode ser visto em publicidade, em músicas, noticiários e até como nome de estabelecimentos comerciais.


Bah, quantas interpretações!

BAH, que raiva! Baaaah, sério?! E até a variação “beeeinnn”. Para a professora Cristiane, o principal motivo que faz com que o “bah” assuma tanto significados diferentes, e até contraditórios, é o funcionamento dessa expressão como uma interjeição. “Essa polivalência é observada, sobretudo, na fala, já que, nesse caso, a entonação é a principal responsável pela variação”, explica.

É diferente de substantivos que têm significados intrínsecos, como “cadeira”, “mesa” e “árvore”, por exemplo. “O ‘bah’ funciona sempre como a mais autêntica expressão de um estado de espírito daquele que fala, que é provocado pela situação de interação e que pode traduzir uma infinidade de reações, como indignação, surpresa, felicidade, tristeza, espanto, etc”.

O fato é que o Bah já pode ser considerado uma característica do vocabulário gaúcho. Uma palavrinha que traz incrustada uma identidade, forçada por anos de história desenhando fronteiras, trabalhando a terra e se vendo um tanto quanto isolado aqui no cone sul do Brasil.

Deixe seu comentário