O assassino foi encontrado após ligação para o 190. Foto: Brigada Militar

Crueldade. Deoclides da Silva foi preso na casa de parentes em Montenegro

A Brigada Militar prendeu Deoclides da Silva, 45 anos, o homem acusado de matar quatro pessoas da mesma família na localidade de Barreto, interior de Triunfo, na quarta-feira, 9. Ele estava na casa de parentes na rua Felipe Panitz, bairro São Paulo, em Montenegro, na tarde de sábado, 12.

A dona de casa Mirian Ribeiro Pereira, de 52 anos, e os filhos Valquíria, de 30; Valéria, de 28; e João Paulo Pereira Borges, de 21, foram mortos com golpes de faca. As mulheres foram assassinadas no pátio da casa. O rapaz enquanto tentava segurar a porta para impedir a entrada no homem. Um adolescente e duas crianças conseguiram escapar do ataque.

Deoclides da Silva. Foto: Brigada Militar

Durante seu depoimento na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Montenegro, o suspeito disse ter decidido se entregar devido ao intenso cerco policial. Ele ficou escondido em matagais. O cortador de grama também afirmou estar temendo pela sua integridade física, tendo em vista a grande repercussão do bárbaro crime.

O nome do autor foi descoberto pelo setor de investigações da Delegacia de Polícia de Triunfo, ainda no dia dos quatro homicídios. Os policiais civis e militares ficaram na cena do crime durante horas aguardando os trabalhos da perícia, efetuando levantamento fotográfico e realizando diligências. Ainda na quarta-feira, todas as testemunhas do fato e a vítima sobrevivente foram ouvidas.

Na manhã da quinta-feira, o delegado Lúcio Machado de Melo, responsável pelo caso, representou pela prisão preventiva do autor e protocolou o pedido junto ao fórum de Triunfo, atendido no dia seguinte.

Na tarde do mesmo dia, policiais da DP de Triunfo, Regional de Montenegro, São José do Hortêncio, Pareci Novo, DP de Montenegro e policiais militares efetuaram buscas ao suspeito na região de Barro Vermelho onde o suspeito estava, mas não foi encontrado. A informação não foi divulgada anteriormente para não prejudicar as investigações.

Policiais civis foram até o local da prisão antes
O setor de investigações da DP de Triunfo tinha conhecimento que o autor do crime podia estar em Montenegro, na casa de parentes e repassou aos agentes de Montenegro, que foram ao local no dia 10 e não encontraram o suspeito, pois ele não havia ido para lá ainda.

Desde a data do fato, foram realizadas diversas diligências. Foto: Polícia Civil

Quando os policiais militares realizaram a prisão, Deoclides se preparava para almoçar. Ele tinha chegado há pouco tempo ao local. O homem confessou o crime e disse que veio para Montenegro, a pé pelo mato, com a intenção de se entregar à Polícia, pois temia represálias por parte da família das vítimas. Também pela segurança de sua esposa e filho.

O motivo das mortes foi as frequentes brigas entre os vizinhos. O preso disse ter “perdido a cabeça” em razão disso. Deoclides, inclusive, já possuía antecedentes por ameaças e atentado violento ao pudor, pois teria mostrado a genitália para as vizinhas em uma ocasião.

Deixe seu comentário