Foto: Arquivo/Jornal Ibiá

O governador Eduardo Leite anunciou nesta segunda-feira, dia 16, que as aulas da rede estadual de ensino serão suspensas a partir de quinta-feira, dia 19. A medida busca conter o avanço no novo coranavírus. A suspensão das aulas valerá por duas semanas, podendo ser prorrogada se necessário. O anúncio foi feito numa transmissão ao vivo pela página do governador no Facebook. A recomendação de Leite foi que as escolas da rede privada também suspendessem suas aulas.

Nesta segunda-feira, dia 16, e nos próximos dois dias, a rede estadual fará reuniões para se preparar para que essa suspensão ocorra com o mínimo transtorno possível aos alunos e aos pais e para programar como as escolas operarão durante a paralisação. O governo também ressalta que, neste período de duas semanas, os alunos receberão tarefas para serem feitas em casa e que, por enquanto, não está prevista a antecipação das férias.

Além da suspensão das aulas na rede estadual de ensino, o chefe do Executivo estadual ressaltou que o Governo suspendeu todos seus eventos que reuniriam mais de 100 pessoas e estendeu a recomendação aos Municípios. “Isso é para que nós reduzamos a exposição de riscos ao contágio. O Estado não faz e recomenda que não se façam eventos com mais de 100 pessoas. Neste momento ainda é uma recomendação. Poderá, em breve, de acordo com a evolução, se transformar não apenas em uma recomendação, mas em uma restrição a ser imposta”, salientou Leite.

O governador destacou, ainda, que um Projeto de Lei para a contratação emergencial de servidores para a área da Saúde deverá ser encaminhado à Assembleia Legislativa. Em relação aos servidores públicos, Leite afirmou que aqueles com doenças crônicas, maiores de 60 anos ou gestantes realizarão teletrabalho. A exceção é para os servidores da Saúde e Segurança Pública. “Também estamos suspendendo e chamando de volta das férias servidores da Saúde, da Segurança Pública e também da Administração Penitenciária do Estado”, salientou. O recadastramento de servidores aposentados e pensionistas – a chamada prova de vida – foi suspenso por 120 dias.

“É importante dizer que não há motivo para pânico. Todas essas políticas estão sendo estabelecidas para que nós possamos retardar o avanço da disseminação do vírus”, disse o governador. Leite observou que a expectativa não é conter o vírus, mas fazer com que o contágio ocorra dentro do limite da capacidade da infraestrutura de Saúde do Estado para atender aqueles casos mais graves.

Além disso, o governo do Estado fará reuniões com representantes municipais, do setor de transportes e da iniciativa privada para que sejam adotadas medidas em todas as instâncias de forma a evitar aglomerações e deslocamento simultâneo de muitas pessoas em ambientes públicos e/ou coletivos.

Deixe seu comentário