Ana Hartmann interpreta protagonista do seriado Reality Z

Nascida em Porto Alegre, a atriz Ana Hartmann, 30 anos, mora em São Paulo pela metrópole ser um pólo da produção audiovisual no país. Porém, por causa do seu trabalho, ela acaba ficando muitos meses fora de casa ao longo do ano. “Então, minha casa tem que ser muito o que eu considero meu lar, meu lar de coração, e aqui é o meu lar de coração”, afirma. O “aqui” é o sítio de sua família localizado no interior de Pareci Novo. É na propriedade que foi de seus avôs que a atriz passa, junto com a mãe, o seu período de isolamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus.

Ana até intercala idas para Porto Alegre para visitar seu pai e ter um tempo para si. “Mas aqui é o lugar que gosto de estar. Eu sinto que é muito saudável para eu estar nesse sítio”, assegura. A vida tranquila na propriedade onde é trabalhada a agricultura biodinâmica é o oposto do que viveu a última personagem interpretada pela atriz: Nina, uma das protagonistas do seriado Reality Z, produção da Netflix lançada em 10 de junho.

A produção nacional conta como um apocalipse zumbi aprisiona participantes e produtores de um reality show no estúdio onde o programa é gravado. Tudo começa numa noite de eliminação do programa do qual Nina faz parte da equipe de produção. Ana revela que sua personagem é alguém que não está no controle dos rumos da sua vida, mas que acaba pegando as rédeas da situação por conta do apocalipse zumbi. “Ela acaba se revelando uma heroína porque as circunstâncias assim o fazem”, analisa.

De acordo com a atriz, a resposta do público tem sido grande. Por meio das redes sociais, ela tem recebido mensagens de pessoas de todo o mundo. “Mas acho que está pegando muito bem com o público brasileiro porque o Brasil consegue entender o humor que está sendo colocado ali”, destaca Ana.


Ligação de Pareci Novo vem desde a infância

Quando Ana era pequena, o sítio hoje cuidado em conjunto com sua mãe servia de ponto de encontro de toda a família. Lá reuniam-se também tios e primos. A atriz também guarda na memória momentos vividos em parques e praças de Montenegro e outras cidades da região. Isso porque seus avôs são naturais da região. A ligação criada na infância tornou-se mais forte agora que a atriz está adulta.

“Eu acho que Pareci Novo é uma cidade muito linda, tem muitas flores e a arquitetura é fascinante. Existe a preservação do patrimônio arquitetônico da cidade, eu acho que isso é muito rico. É um lugar fascinante, toda essa região é fascinante”, declara-se.

No período em que Ana está passando no sítio, ela inteirou-se sobre a administração do Peixinho da Horta, empreendimento da sua mãe, e assumiu a comunicação do projeto Mesa Natural, um braço do Peixinho da Horta que realiza a distribuição de alimentos orgânicos do Vale do Caí em Porto Alegre.

“É legal valorizar o tipo de relação social que se dá aqui. Acho bonita a forma como os produtores se unem para que os produtos cheguem às pessoas e para que todas as propriedades consigam se viabilizar financeiramente e de acordo com as demandas do meio ambiente”, destaca a atriz. Ana revela que sonha implementar na propriedade da família uma escola de teatro, numa busca por unir cultura e consciência ambiental.

Uma trajetória de quase 10 anos no teatro
Foi quase 10 anos atrás que Ana deu uma guinada na sua vida, deixou a faculdade de Direito que cursava e apostou na carreira de atriz. “Quando eu me vi com 22 anos, já convivendo com muitos grupos de teatro de São Paulo, percebi que aquele era o momento que essa mudança tinha que ser feita”, revela. Com uma veia artística muito forte, ela vê no teatro e no cinema a oportunidade de melhor usar seu talento para a comunicação. “Eu nunca vou abandonar o Direito, eu acho que ele é uma parte importante na minha formação. Mas, em termos de graduação, talvez não tenha sido interessante para mim, um dia talvez eu retome”, pondera. “Como pessoa na sociedade eu percebo que minha função é ser uma comunicadora, uma pessoa da Arte”, complementa.

A convicção em seguir uma carreira artística resulta em quase 10 anos trabalhando no teatro em São Paulo e também em produções audiovisuais. Ana teve participações na terceira temporada da série do canal Fox “Me chama de Bruna” e também da produção “Onde nascem os fortes”, da Rede Globo. Ela também fez parte do elenco que filmou “O pastor e o guerrilheiro”, novo filme do diretor José Eduardo Belmonte e que ainda será lançado.

Deixe seu comentário