A Operação Boi Azedo cumpriu mandados na localidade de Santos Reis. Fotos: Polícia Civil
Foram encontrados mais de 55 kg de carne em péssimas condições de acondicionamento

CARTÓRIO ESPECIALIZADO completa um ano de instalação com diversas operações

A Polícia Civil de Montenegro vem intensificando suas ações de combate aos crimes de abigeato denunciados na região do Vale do Caí. O trabalho ganhou força com a implementação do Cartório Especializado em Crimes Rurais e Abigeato, instalado em outubro do ano passado na 1ª Delegacia de Polícia (DP) de Montenegro. As denúncias de casos suspeitos têm sido de grande importância para o êxito das investigações policiais.

A mais recente operação de combate ao crime de abigeato, do Cartório da 1ª DP, foi realizada nessa sexta-feira, dia 13. Com apoio da Vigilância em Saúde Municipal e Inspetoria de Defesa Agropecuária Estadual, foi deflagrada a Operação Boi Azedo.

Após receber informações sobre venda de carne clandestina, foram cumpridos mandados de busca e apreensão em um mercado na localidade de Santos Reis. A investigação apontou que, de fato, os alimentos estavam sendo vendidos no local, confirmando-se a denúncia.

Foram encontrados mais de 55 kg de carne em péssimas condições de acondicionamento, sem procedência comprovada e sem registro no órgão sanitário. O proprietário do estabelecimento foi preso em flagrante por crime contra as relações do consumo.

Na propriedade rural, houve autuação por irregularidades administrativas. No local era realizado abate clandestino, também em péssimas condições de higiene. Ainda foi localizada, na residência anexa ao estabelecimento, uma espingarda calibre .32, e material de recarga, o que também gerou flagrante por posse irregular de arma de fogo e munição.

O delegado titular da 1ª DP de Montenegro, André Lorbiecki Roese, afirma que o sucesso das operações está relacionado às denúncias feitas pela população. “Agimos sob demanda de informações. A Boi Azedo, por exemplo, foi fruto de denúncia feita à Secretaria da Saúde. Por isso a importância de a população vir a nós com indicações”, explica a autoridade policial.

Outras operações
O delegado André Roese prefere não quantificar as ocorrências investigadas nesse primeiro ano de atividades do Cartório Especializado em Crimes Rurais e Abigeato. Em vez disso, ele ressalta o resultado de importantes operações como, por exemplo, a Operação Carrilar – desenvolvida no Bairro Estação e propriedades rurais lindeiras de Montenegro, em março deste ano, com foco nos crimes de abigeato e contra o patrimônio -, e a Operação PET de combate aos crimes contra os animais – realizada em agosto deste ano em Montenegro.

“A questão do cartório é que possui muito um valor simbólico, de marcar, em um primeiro momento, uma preocupação com a temática, acredito que muitas deans – nasceram assim. Tudo indica que no futuro evolua para uma delegacia especializada que investigue os crimes de toda a região e sirva de ligação entre o interior e a região metropolitana de forma mais efetiva”, explica o delegado.

Operação Carrilar
No dia 5 de março, o Cartório de Repressão aos Crimes Rurais e Abigeato da 1ª Delegacia de Polícia de Montenegro, com auxílio de policiais civis da Delegacia de Pronto Atendimento e Brigada Militar realizou a Operação Carrilar, no Bairro Estação e propriedades rurais lindeiras de Montenegro, em razão do aumento de crimes de abigeato e contra o patrimônio. Na ocasião, foram realizadas intimação de suspeitos e reconhecimento geográfico, com uso de drone.

Operação Pet
A Operação Pet cumpriu mandado de busca e apreensão na residência de um suspeito e fiscalizou seis agropecuárias, no dia 26 de agosto, em Montenegro. Os responsáveis pelos estabelecimentos comerciais foram orientados quanto às normas sanitárias vigentes, em especial sobre à venda de venenos com potencialidade lesiva a animais de médio porte, como cães e gatos.

A Operação Pet também visitou estabelecimentos comerciais
Foto: arquivo Polícia Civil

Segundo a Polícia, a ação foi motivada pelas mortes de cães em Montenegro, que causaram repercussão nas redes sociais. Participaram da Operação Pet agentes da 1ª Delegacia de Polícia de Montenegro, Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), DP de Brochier e DP Regional.
Informações sobre atitudes suspeitas e demais denúncias relacionadas a esse tema podem ser relatadas a polícia pelo telefone 3632-1111, ou diretamente na 1ª Delegacia de Polícia de Montenegro, na rua José Luís, nº 1030.

Deixe seu comentário