Jovem ator vive o personagem Bóris no seriado que tem Cláudia Abreu e Cássia Kiss no elenco. FOTO: André Hawk/Globoplay

Desalma já está com todos os episódios disponíveis e com 2ª temporada confirmada

O seriado Desalma é um drama sobrenatural no ar na plataforma de streaming do Grupo Globo, a Globoplay. Com nomes de peso como Cláudia Abreu e Cássia Kiss no elenco, a trama acompanha uma isolada comunidade de descendentes ucranianos no Sul do Brasil que, quando se prepara para celebrar a tradicional noite folclórica de Ivana Kupala, passa a ser assombrada por uma presença sobrenatural que traz à tona traumas de um assassinato ocorrido trinta anos antes. E se essa sinopse ainda não te convenceu a assistir os episódios, tem mais: tem ator montenegrino ajudando a contar essa história.

O jovem Lucas Soares, de 27 anos, aparece ao longo de toda a temporada. Ele interpreta a versão jovem do personagem Bóris nos flashbacks que mostram o que levou ao crime do passado que ronda a trama do seriado. “Ele é um personagem que é difícil de falar sem dar nenhum spoiler. É um menino que não tem muito dinheiro, mas que tem a sua ambição”, conta o montenegrino. “A gente acompanha como ele era, o que aconteceu e como as coisas ficaram depois.”

O ator lembra que soube das audições para Desalma através de uma professora do curso de Teatro da Uergs. Ele fez o primeiro teste em Porto Alegre, com um pesquisador de elenco carioca. Foi chamado para uma segunda etapa, um workshop de dois dias com exercícios e a gravação de uma cena já com um dos diretores do seriado. “Depois de poucos dias, eles me ligaram dizendo que eu havia sido aprovado”, lembra. Entre preparo e a gravação dos dez episódios, foram cinco meses de trabalho com filmagens em Antônio Prado e São Francisco de Paula, aqui no Estado, e também no Rio de Janeiro.

“Foi o meu primeiro trabalho para a TV – ou no streaming, como é o caso – e, não adianta, a gente fica com uma expectativa de como vai ser esse período”, relata Lucas. “Mas dentre os atores mais experientes, dos adultos, muitos são pessoas de Teatro, que n19ão tinham feito tantas coisas na TV. E os jovens da série, também, são atores iniciantes ainda. Tava todo mundo no seu primeiro ou segundo trabalho e isso ajudou bastante a gente a se ajudar.”

Clima sobrenatural ronda a trama do seriado, que se diferencia das produções nacionais costumeiras. FOTO: DIVULGAÇÃO

“A gente vê que a recepção da série foi ótima. Muito boa mesmo!”, comenta o ator. “Desalma causa um certo estranhamento nas pessoas, já que não é o tipo de produto que geralmente se faz no Brasil. É um clima, uma tensão o tempo todo. O público percebe a diferença e isso vem dando uma resposta muito positiva.” A segunda temporada já está confirmada.

Do Direito para o Teatro
Lucas demorou a entender que tinha vocação para as artes cênicas. Apesar da vontade, quando se formou no Ensino Médio começou a graduação no curso de Direito e a relação com o Teatro iniciou quase como um “namoro”. Primeiro com um curso paralelo à faculdade em Porto Alegre; depois, em 2014, numa breve passagem por uma escola de atuação no Rio de Janeiro – com os estudos em Direito trancados até o retorno. “Aí, junto da faculdade, eu comecei a fazer Teatro na Fundarte, onde fiquei três anos. Em 2016, que decidi que aquilo não era só um hobby pra mim”, lembra. Foi quando a coisa ficou séria.

Deixando o Direito de vez, Lucas começou a graduação em Teatro na Uergs, em Montenegro, em 2017. Lá que surgiu a oportunidade do seriado. Nesse meio tempo, participou de duas peças pela universidade: “O Polvo” e “Hamlet”; e atuou em dois curtas: “Sonata” e “Depois da Meia Noite”, ambos exibidos em reconhecidos festivais da 7ª arte. Hoje, ele vive em Porto Alegre – a graduação foi trancada para a gravação de Desalma e ainda não retomada. “Tinha muita coisa que eu queria fazer esse ano que acabou sendo adiada pela pandemia. Já estou agenciado e pretendo seguir trabalhando, mas no momento é difícil saber os próximos planos porque está tudo muito incerto”, aponta.

Deixe seu comentário