Participantes do grupo confeccionam roupinhas de bebe de lã para doar ao Hospital Montenegro. Foto: divulgação Sesc
Atividade do Dia do Amigo consistiu na confecção de cartazes. Foto: divulgação Sesc

Com o isolamento, gincana e ação social divertem os participantes do programa do Sesc

Com o distanciamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus, muitos idosos, que estão no grupo de risco, procuram atividades para enfrentar esse período de isolamento e ocupar o tempo livre sem sair de casa. Em Montenegro, o grupo Maturidade Ativa, do Sesc, tem contribuído muito para a saúde e o bem-estar dessas pessoas, com a realização de inúmeras ações virtuais.

Logo que iniciou o distanciamento na cidade, a facilitadora do Grupo Maturidade Ativa do Sesc, Denise Carvalho Machado, criou a Gincana Virtual Maturidade, já que as atividades presenciais foram suspensas na entidade. Através do WhatsApp e do Facebook, Denise publicou ações que trabalham a cognição, percepção, memória e raciocínio para os participantes do programa.
No grupo do Maturidade Ativa no WhatsApp, que possui 100 pessoas ativas, as atividades são publicadas três vezes por semana. “Temos jogo de stop, bingo, ‘Qual é a Música?’, caça-palavras, leitura, poemas, jogo da forca, ‘Qual é o personagem?’, histórias e várias outras”, ressalta Denise.

Além de atividades, lives e inúmeras brincadeiras realizadas neste período, o grupo também vem trabalhando, de forma virtual, com uma ação social, onde as participantes estão confeccionando roupinhas de bebe de lã, que posteriormente são doadas para o Hospital Montenegro.

Integrante do Maturidade Ativa desde 2008, a dona Zaida Carvalho Hoffmann, de 86 anos, destaca que as atividades remotas ajudam a matar a saudade das amigas neste período de isolamento. “A convivência fortalece amizades, é muito bom estar com as amigas. Sentimos muita saudade (dos encontros presenciais), mas a gente se distrai participando das brincadeiras através das lives e nos comunicando virtualmente”, ressalta.

Entre as atividades praticadas nesses últimos meses, Zaida cita suas favoritas e enfatiza a importância dos diálogos, mesmo à distância, neste período. “Todas as brincadeiras são divertidas, as que mais gosto são stop, bingo e ‘Qual é a Música?’. O mais importante é interagir com a turma, trocar ideias e matar a saudade. Nas conversas, há participantes de várias cidades e estados, cada um com uma ideia, isso faz com que a gente conheça outras pessoas e culturas”, salienta.

“Além disso, nossos facilitadores Denise e Cássio são muito criativos e tornam o programa ainda mais divertido”, complementa Zaida, que tem a companhia da filha Ana no grupo.

Deixe seu comentário