Em oito meses de Distanciamento Controlado nunca nenhuma região Covid foi classificada como bandeira preta. Porém, nesta segunda-feira, 14, pela primeira vez, duas regiões ficaram com o nível de restrição máximo previsto no sistema de enfrentamento à pandemia no Rio Grande do Sul. O governo do Estado divulgou que as regiões de Bagé e de Pelotas estão oficialmente em bandeira preta (risco epidemiológico altíssimo) no mapa definitivo da 32ª rodada do modelo. A Região 08 – onde está localizada Montenegro e outras cidades do Vale do Caí – segue na cor vermelha. Apenas a região de Cruz Alta recebeu classificação de bandeira laranja (risco epidemiológico médio). As outras 18 estão na bandeira vermelha (risco epidemiológico alto). A vigência das novas bandeiras segue até as 23h59 da próxima segunda-feira, 21.

Ainda nesta segunda, o Gabinete de Crise indeferiu todos os pedidos de reconsideração feitos por associações regionais e municípios. No caso de Pelotas, a solicitação havia sido enviada pela associação regional, enquanto em Bagé foi pelo município. Segundo o governo do Estado, as regiões em bandeira preta foram assim definidas porque estão com capacidade hospitalar crítica e grande número de casos e internações em leitos de UTI pela doença. A bandeira preta demanda cuidados ainda mais extremos – maiores do que os já adotados na bandeira vermelha (risco alto) e nas demais, de menor gravidade. A classificação, no entanto, não estabelece um lockdown.

Montenegro não passou tão longe assim de acabar passando para a bandeira preta, também. No cálculo das bandeiras, a média ponderada obtida para ficar na preta precisa ser acima de 2,5. A região do Município ficou com média de 2,24, nunca tendo estado tão perto da categoria de risco altíssimo. Para comparação, na semana passada, a média ponderada tinha sido de 1,63. Na anterior, 1,96. Tendo diferentes pesos, o cálculo leva em conta, especialmente, índices de disponibilidades de UTI e de pacientes com Covid-19 em internação.

Cogestão regional está valendo novamente

O sistema de cogestão regional, no qual regiões Covid podem adotar protocolos menos restritivos à bandeira na qual estão classificados, volta a valer a partir da 0h desta terça-feira, 15. A suspensão estava prevista no Decreto 55.609 como alternativa para o aumento de internações por Covid-19 no RS.

Com o município de Canoas como referência, a R08 integra 18 cidades ao todo, e possui 14 municípios que adotam os protocolos regionais. Dentre eles está Montenegro, Brochier, Maratá e Pareci Novo. Algumas mudanças foram realizadas nos protocolos das bandeiras segundo novo decreto Estadual, todavia as novas regras ainda não haviam sido divulgadas pelo governo Estadual até o fechamento desta matéria.

Regra 0-0

No mapa definitivo da 32ª rodada, 456 municípios (do total de 497) estão classificados em bandeira vermelha. Desses, 162 municípios podem adotar protocolos de bandeira laranja, porque cumprem os critérios da Regra 0-0, ou seja, não têm registro de óbito ou hospitalização de moradores nos últimos 14 dias, desde que a prefeitura crie um regulamento local.

De acordo com o novo decreto, municípios em bandeira preta que se encaixam na Regra 0-0 podem adotar protocolos de bandeira vermelha. Antes, a prerrogativa só era permitida a municípios em bandeira vermelha para que adotassem regras da bandeira laranja. Dos 28 municípios localizados em região de bandeira preta, oito não registraram óbitos ou hospitalizações nos últimos 14 dias.

Deixe seu comentário