O órgão orienta que a população tenha cuidado com “dicas” compartilhadas nas redes sociais Foto: Reprodução/Anvisa

Em uma mensagem que está circulando as redes sociais, um homem que se intitula Engenheiro Agrônomo na cidade de Catanduva – São Paulo relata a utilização de um produto no mercado a base de amônia quaternária, utilizado segundo ele, como sanitizante/bactericida para inviabilizar o novo coronavírus. Porém, segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), os consumidores devem utilizar somente produtos regularizados. O ideal é dar preferência aos saneantes classificados nas categorias “Água Sanitária” e “Desinfetante para Uso Geral”.

Na sua fala, o suposto engenheiro propõe com o auxílio dos agricultores a aplicação desse produto nas ruas e prédios da cidade para “degradar a camada protéica que protege o RNA viral do covid19”.

De acordo com o Engenheiro Agrônomo da EMATER Regional de Lajeado, Derli Bonine, a amônia quaternária, em que um dos produtos é o quatermon, é um desinfetante utilizado na prevenção do cancro cítrico. “É um bactericida, bacteriostático e fungicida. O coronavírus é um vírus”, explica o profissional.

A Anvisa orienta a população a ter cuidado com informações compartilhadas por meio de aplicativos, como “dicas” de uso de substâncias químicas para a produção caseira de produtos saneantes. Isso não é recomendável e pode colocar a sua saúde e a de outras pessoas em risco, em especial pela falta de eficácia. Além disso, há risco de acidentes que podem provocar queimaduras, intoxicação e irritações.

Por isso, a Anvisa reforça que existem diversos produtos regularizados no mercado, devidamente avaliados e testados, e que são destinados à desinfecção dos ambientes, utensílios e objetos (chão, superfícies de móveis, maçanetas, corrimão, interruptores de luz etc.). Além disso, o coronavírus é facilmente morto com água sanitária e até com água e sabão.

Deixe seu comentário