Foto: Reprodução Internet

Maior parte dos prefeitos da região não concorda com a volta em setembro

Em reunião realizada na manhã desta quinta-feira, 3, através de uma videoconferência, prefeitos e secretários municipais de Educação da Associação dos Municípios do Vale do Rio Caí (Amvarc) firmaram posição contra o retorno das aulas presenciais em setembro. Com grande maioria dos participantes concordando, a entidade regional se posicionou contra o calendário proposto pelo Governo do Estado e definiu que as que as redes municipais de ensino não retornam às aulas neste mês.

De acordo com o presidente da Amvarc, Carlos Alberto Fink, o Lico, um dos principais motivos para o voto contrário da maioria dos prefeitos é que os casos positivos de coronavírus seguem em crescimento nas maiores cidades da região. “As escolas públicas municipais não voltam em setembro. Chegamos a esse acordo. Vamos levar essa posição à Famurs. Além disso, a maior parte dos prefeitos não concorda que a Educação Infantil volte primeiro”, enfatiza.

Secretária de Educação, Cultura, Turismo e Desporto de São Sebastião do Caí, Zoraia Roveda Lauermann reitera que a maior parte dos membros da associação não vê segurança para o retorno das aulas neste momento. “Consideramos que ainda não há a mínima condição de trazer os alunos para as salas de aula de forma segura. Por isso, mantemos nossa posição contra a retomada neste momento”, frisa.

Outro consenso da Amvarc é que a retomada das aulas não ocorra pela Educação Infantil. “Não podemos voltar primeiro pelas crianças menores, mas sim pelos estudantes dos anos finais do Ensino Fundamental e as turmas do Ensino Médio”, complementa Zoraia. Uma nova reunião virtual será realizada pela Amvarc no próximo dia 24 para tratar do assunto.

Na última terça-feira, dia 1°, o Governo do Estado e a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) dialogaram sobre a retomada das aulas presenciais, mas não chegaram a um consenso. O Executivo estadual apresentou à entidade uma nova proposta de calendário de volta às aulas. A Famurs, no entanto, manifestou-se contra o retorno das aulas neste momento.

De acordo com a proposta do Estado, a retomada ocorreria a partir do dia 8, próxima terça-feira, pela Educação Infantil. No dia 21 deste mês, seriam liberadas as aulas do Ensino Superior e do Ensino Médio. Entretanto, o governo já comunicou que as aulas de Ensino Médio só retornariam em 13 de outubro, e os encontros dos anos finais do Ensino Fundamental seriam permitidos a partir de 28 de outubro.

Smec endossa posição contra o retorno das aulas
A Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Montenegro também se posicionou contra a retomada das aulas presenciais neste momento. O Município terá uma nova reunião na metade deste mês para tratar do assunto. Confira abaixo, na íntegra, o comunicado da Smec à imprensa:

“Embora o Governo do Estado tenha previamente definido um calendário, o mesmo define como premissa que o “retorno é facultativo (a depender dos municípios, das escolas e dos pais)” na retomada das aulas presenciais. Isto posto, é de entendimento que cada município decidirá pelo retorno das suas redes, e é consenso do Executivo Municipal, que serão levados em conta os indicadores da Saúde em Montenegro. Em reunião com o Centro de Operação de Emergência em Saúde para a Educação – COE-E, em 02/09/2020, foram apresentados dados técnicos da Saúde, e, os mesmos apontam para níveis bastante altos de contaminação pela Covid-19. Portanto, amparada nos dados técnicos dos indicadores da Saúde, o posicionamento da Administração Municipal é pelo não retorno as aulas presenciais”.

Deixe seu comentário