Foto: Arquivo Pessoal

Com ele ou com eles, sempre é bom ter alguém ao nosso lado em todos os momentos da vida. Muitas vezes, nem da família são, mas o sentimento de amor é tão forte que acabamos por considerar como familiar. Estamos falando de amigos, pois hoje é comemorado o Dia do Amigo em alguns países.

Seja no trabalho, na rua, na festa ou de qualquer outra maneira inusitada, podemos formar amizades. Há quem conheça um amigo novo por meio de brigas, outros quando estão em situação de perigo e tem aqueles que conhecem alguém e a sintonia é tão forte que mais parece que foram amigos em outras vidas.

Ter amizades é ter vida. Um amigo verdadeiro pode, e deve, valer mais que qualquer quantia de dinheiro. Por isso, o Caderno Expressão preparou esta matéria especial, que vai dar a oportunidade para boas histórias aparecerem. Veja alguns depoimentos selecionados.

Ketlyn Lucas Ticca
“Estes são meus melhores amigos: a minha família, os meus primos. Temos tantas histórias pra contar, tantas lembranças e acontecimentos. Foram eles que sempre estiveram comigo nos momentos bons e ruins. É um prazer imenso mostrar a todos que ainda existe família, aquela antiga, do almoço de domingo. É pra eles que eu levo minhas dores, minhas alegrias. Meus amigos são tudo o que tenho de melhor, são meu porto seguro”, revela Ketlyn.

Foto: Arquivo Pessoal

Tatiane Goulart e Tuanny Goulart
As duas se conheceram na escola Álvaro de Moraes em 2000. “Eu e a Tuanny nos conhecemos na escola e nos tornamos amigas no ensino fundamental. Quando saímos e fomos para a escola São João, nos afastamos. Eu acabei engravidando cedo, quando me afastei de todos. Após minha separação voltamos a conviver. A Tuanny já havia se formado em direito e eu, pela pressão da maternidade, havia desistido da faculdade. Então minha amiga acabou voltando pra minha vida e por apoio e incentivo dela voltei para a faculdade. Hoje somos sócias e atuamos no ramo do Direito Penal. Foi o incentivo dessa amizade que me jogou pra cima de novo. Foi essa amizade que me fez crescer profissionalmente e em muitos outros aspectos”, declara Tatiane Goulart.

Foto: Arquivo Pessoal

Diana Lima e Rosane Hermes
“Uma história de muito amor e carinho com tanta loucura em dois corações. São mais de 10 anos de amizade com idas e vindas. Sempre digo que é quase um casamento. Ninguém nunca vai substituir o lugar da Rosane. As pessoas acham que somos irmãs com tanta semelhança e por estarmos sempre juntas”, diz Diana.

“Sou muito grata por esta amizade, pois me ensinou que pra ser família não precisa ter o mesmo sangue e sim o coração compatível. Passamos por tantas já que daria um livro. Depois de um acidente grave, quem esteve ao meu lado foi ela, me ajudando inclusive no banho. Com certeza é a melhor amiga da minha vida, a pessoa mais especial pra mim”, coloca Rosane.

 

Foto: Reprodução Facebook

Ana Júlia Silva e Taila Gabriela Medeiros
“Já tivemos nossas desavenças, já tivermos nossos desentendimentos, já tivemos nossa distância. Com toda turbulência da vida, nunca nos afastamos. A Ana Júlia esteve presente em todas as fases da minha vida e, por isso, fico muito grata por tudo. Ela é uma pessoa especial pra mim, porque que além de amiga se tornou como se fosse minha família. Na vida não temos muitos amigos (as). Podemos escolher nos dedos aquela pessoa que podemos contar na hora que precisar”, diz Taila.

Foto: Arquivo Pessoal

Juliana Duarte, Alcindo Duarte e Ana Lúcia Oliveira Duarte
“Eu não tem só um (a) melhor amigo (a), eu tenho os dois melhores amigos do mundo: meus pais Alcindo e Ana Lúcia. Me apoiam, acompanham, compram minhas maluquices, cuidam dos meus filhos quando eu preciso. Sei que sempre posso contar com o apoio deles e confio a eles os meus segredos. Essa é uma linda amizade e eles jamais me trairiam. Sou grata por essa amizade verdadeira e para vida toda”.

Foto: Arquivo Pessoal

Juliana Cabral e Rosirene Oliveira
“Minha amizade com a Rosirene Oliveira começou há 13 anos. Sempre foi uma amiga muito presente, carinhosa e atenciosa com minha filha também. Sempre podemos contar muito uma com a outra, como irmãs mesmo. No Inverno de 2017 descobri que estava grávida do meu segundo filho, um bebê muito esperado, pois já havia passado por um aborto. Foi uma felicidade imensa descobrir a gravidez. Pouco tempo depois a Rosi engravidou também, sem planejar. Como nós duas sabemos, foi plano de Deus para nós. Logo descobrimos que teríamos dois meninos para crescerem juntinhos. O bebê dela estava previsto para abril e o meu, para março. Na madrugada do dia 23 de março, às 3h da manhã, entrei em trabalho de parto. Peguei o celular para avisar minha amiga e vi que fazia 15 minutos que ela havia me mandado mensagem dizendo que estava entrando em trabalho de parto, indo ao hospital. As pessoas chamam de ‘sintonia de amigas’, mas nós sabemos que é coisa divina. Nossos meninos são amigos e nosso compromisso agora é ensinar a eles sobre o verdadeiro sentido da vida, sobre o valor de se ter um amigo”, revela Juliana.

Deixe seu comentário