Foram vendidos mais de mil cartões do galeto beneficente FOTO: Prefeitura de Maratá

Foi quando aguardava atendimento no Hospital Montenegro (HM) após perder parte de um dos dedos da mão esquerda num acidente enquanto fazia pão que a marataense Roseli da Rosa, 42 anos, teve a ideia de realizar um galeto beneficente para ajudar a casa de saúde que é referência na região. O projeto foi compartilhado com amigas e tomou forma resultando em 1.088 cartões de almoço vendidos e um valor total arrecadado de R$ 17.625,00. “A resposta (à proposta) foi maravilhosa. Eu me emocionei demais”, afirma Roseli.

Com os recursos arrecadados será adquirido um tecido especial para ambientes hospitalares que permitirá a confecção de roupas, campos cirúrgicos, lençóis e camisolas para serem utilizadas no centro cirúrgico do hospital. A secretária de Saúde de Maratá e voluntária na ação, Gisele Adriana Schneider, explica que como a empresa que faz a venda do tecido só negocia com pessoa jurídica, o valor arrecado será repassado ao HM, que fará a compra. A previsão é que o material chegue 15 dias depois de adquirido.

“Gostaria de agradecer a comunidade marataense e de municípios vizinhos. Todos contribuíram não só na arrecadação, mas na solidariedade. É gratificante”, destaca Gisele. Idealizadora da ação, Roseli reforça que ficou satisfeita com o resultado e salienta que além de comprar cartões, pessoas e empresas auxiliaram com doações seja em dinheiro ou de itens para rifa ou preparo do galeto. Ela incentiva ainda que outras comunidades façam ações semelhantes pelo Hospital Montenegro.

Deixe seu comentário