Ao atualizar seu algoritmo para priorizar postagens de amigos e família no feed de notícias, a rede social Facebook fez a sua maior mudança em anos. Isso porque é muito provável que a publicidade não o veja do mesmo modo. A mudança, justificada pela empresa pelo interesse em aumentar a interação entre as pessoas, é apontada também como uma tentativa de combate ao fenômeno das notícias falsas, o fake news.

A nova diretriz, contudo, provocou um importante efeito colateral: vai reduzir o alcance de conteúdo distribuído pela imprensa no site a partir das próximas semanas. Com isso, os mais de 2 bilhões de usuários vão ler menos notícias na rede social e ficar mais informados a respeito do que os seus amigos andam postando na rede.

Atualmente, grande parte dos veículos de imprensa tem no Facebook um dos principais canais de distribuição das notícias veiculadas em seus sites. Com a mudança promovida por Zuckerberg, captar a audiência presente na rede social deve ficar um pouco mais difícil e mais caro. Quem gosta de usar o face exclusivamente para acompanhar as postagens de seus amigos aprovou a nova medida. Já quem adora estar bem informado sobre o que ocorre na sua cidade e Estado terá um pouco mais de trabalho.

Tainara aprovou a mudança no Facebook, pois prefere ver postagens de amigos na rede. foto: arquivo pessoal de Tainara Ventura

Tainara Ventura, de 21 anos, acredita que a priorização das amizades vai ser muito boa. O que ela mais curte no aplicativo é poder acompanhar e até mesmo participar de momentos especiais de seus amigos. “Achei a ideia incrível, pois deu uma nova cara ao Facebook e ficou bem mais atrativo e moderno. Na minha opinião, ficou com a cara de um jornal personalizado, por isso gostei muito”, comenta.

A montenegrina usa a ferramenta há mais de sete anos. Para ela, a renovação em termos de serviço e na apresentação do conteúdo fazem com que a marca se mantenha em evolução. “O face está sempre inovando os conteúdos e sempre tem uma nova atualização. O Instagram é um aplicativo bem parecido com o face e que as pessoas estão usando bastante, mas o insta ainda não tem todas as opções que o face nos oferece”, observa.

Ana Claudia diz que a rede social a ajuda a manter contato com amigos que moram longe. foto: arquivo pessoal de Ana Claúdia Pinheiro da Silva

Quem também curtiu a inovação foi Ana Claudia Pinheiro da Silva, de 36. Ela prefere acompanhar as postagens de seus amigos, pois conhece muitas pessoas que não moram em Montenegro. “Eu acho que o face nos aproxima mais dos amigos distantes, daqueles que ficamos um longo tempo sem ver. Quando me casei, viemos para Montenegro, isso há 15 anos, e meus amigos de infância ficaram para trás”, explica. Ela usa a ferramenta há cinco anos para, entre outras coisas, se comunicar e acompanhar as postagens destas pessoas, principalmente das que não moram no município.

Kellyn, mesmo gostando de ver as notícias, aprovou a mudança. foto: arquivo pessoal de Kellyn Gonçalves

Kellyn Gonçalves, de 20 anos, gosta muito de acompanhar as notícias de sites confiáveis na rede social. Mesmo assim, aprova a atualização. “Eu gostava de notícias, porém ainda vejo muitas coisas de páginas duvidosas. Além disso, o facebook poderia atualizar de uma maneira onde aparecessem mais as publicações de pessoas mais próximas, como as que marcamos mais em fotos”, sugere.

O design das últimas atualizações também foi renovado, mas sem mudanças radicais. Usuária da ferramenta há oito anos, Kellyn acredita que o Facebook ainda terá muitos anos de existência. “Acho que vai durar, sim, pois por mais que o insta (Instagram) e outros estejam em alta, não há um com tantas propostas como as que o face oferece”, observa a internauta.

Créditos: reprodução internet

Mais dinheiro
A perspectiva de lucro dos donos do Facebook é visível. Ao reduzir o alcance das publicações de páginas, a rede social “obriga” seus administradores a investir mais dinheiro para impulsionar publicações.

Amizade virtual
É possível criar uma amizade sem conhecer pessoalmente a outra pessoa? Há algumas décadas, talvez não, mas atualmente encontra-se até parceiros de relacionamento via internet. Foi por meio do Facebook que Tainara fez amizade com outra montenegrina, mesmo sem conhecê-la anteriormente. “Adicionei uma menina que não sabia quem era e acabei conhecendo ela quando fui a uma farmácia. Aí ela falou ‘nossa, parece que já te conheço’ e aí eu disse: ‘sim, do face”. Daí ela lembrou e, sempre que vou à farmácia, a gente conversa”, conta. As duas se conheceram pela rede e pessoalmente ano passado e Tainara mandou o convite por ver que as duas tinhas amigos em comum.

Deixe seu comentário