Foto: Reprodução Internet

A Organização Internacional de Combate à Pobreza ActionAd, divulgou uma pesquisa em que mais da metade das mulheres (53%) brasileiras, de idade entre 14 e 21 anos sentem medo diariamente de serem assediadas. De acordo com a entidade, em comparação com o Quênia, a Índia e o Reino Unido, países que também fizeram parte da pesquisa, as brasileiras são as que mais se sentem ameaçadas. No Quênia são 24%, na Índia 53% e no Reino Unido 14%.

A pesquisa foi realizada com 500 mulheres do Brasil, sendo metade homens, de diversas regiões do país. As porcentagens mostram que entre 14 e 16 anos, 41% das adolescentes se sentem ameaçadas, na faixa etária dos 17 aos 19 anos os dados são de 56% e 61% das mulheres entre 20 e 21 anos.

Foram analisadas as formas de assédio, chegando aos dados de: Assédio verbal (41%), assovios (39%), comentários negativos feitos pessoalmente ou por redes sociais (15%), pedidos de mensagens com teor sexual (15%), piadas com teor sexual feitas em publico envolvendo a si mesma (12%), beijos forçados (8%), apalpadas (5%) e fotos intimas vazadas (2%)

Ponto positivo
Durante a pesquisa, nos quatro países, foi notada a grande conscientização entre as mulheres sobre o assédio e o constante crescimento debate do assunto entre a geração. No Brasil, 88% dos adolescentes acham inaceitáveis comentários dessa forma. A educação foi o fator apontado pelos jovens (80%) para combater os assédios.

Deixe seu comentário