Até março, 353 denúncias foram recebidas pela Comdecon. 116 por ilegalidades ou abusos das operadoras

As reclamações contra os serviços de telefonia aumentaram em Montenegro. Acréscimos nas tarifas, contratos não cumpridos, pacotes adicionais sem autorização do usuário, dificuldade no acesso ao sinal de internet e telefonia, entre outros, lideram as queixas. Do início do ano até março, a Comissão Municipal de Defesa do Consumidor (Comdecon) recebeu 116 denúncias nesse segmento. Marca superior a de 91, registrada no mesmo período do ano passado.

Fábio revela que, em cerca de 90% das vezes, o contato do Comdecon se torna eficiente e o cliente não precisa pagar as diferenças acrescentadas

O secretário executivo da Comdecon em Montenegro, Fábio Júnior Barbosa, de 34 anos, afirma que atualmente essa é a maior demanda. Ele divide o tema em dois níveis de telefonia: móvel e fixa. “A gente tem uma procura maior por problemas na linha móvel, principalmente quanto a cobranças de serviços desconhecidas por parte do usuário e a falta de sinal para uso da internet. Nos fixos, a principal queixa é a contratação de um serviço que é prestado diferente do combinado; a empresa promete uma coisa, mas faz outra”, comenta.

Fábio revela que, em cerca de 90% das vezes, o contato da Comdecon se torna eficiente e o cliente não precisa pagar as diferenças acrescentadas. “Nós já temos um bom diálogo com as empresas e, tendo os comprovantes em mão, conseguimos reverter a situação. Mas, para isso, é essencial que o reclamante traga informações verdadeiras, de preferência com provas, como boletos e protocolos de atendimento”, diz.

As prestadoras de serviços não querem perder o cliente e a Comdecon faz a ponte entre os dois para uma negociação amigável. Mas e se a conta com acréscimo indevido já foi paga? “Em geral, quando as empresas reconhecem que foi um serviço não acordado ou não tem provas que afirmam a contratação, elas descontam o valor pago indevidamente nas faturas seguintes”, comenta. Caso não haja um acordo, pode ser aberto um processo para recorrer judicialmente ao caso.

Os números mostram tamanho do problema
Em 2017, foram registradas 1.108 denúncias junto à Comdecon Montenegro e, dessas, 399 foram de problemas com a telefonia, ou seja, 36% da demanda. A maior porcentagem de reclamações do ano passado ficou com a telefonia móvel que, sozinha, foi responsável por 27% da procura dos montenegrinos pelo órgão.

E 2018 já começou em alta também: até março, foram registradas 353 queixas, das quais 116 (32,8%) são contra empresas de telefonia. Dessas 116, 31 foram de usuários de aparelhos fixos e 81 de aparelhos móveis. Confira mais detalhes na tabela abaixo:

Reclame também pelo site da Anatel
Você sabia que, como consumidor de serviços de telecomunicações, tem o direito de registrar, junto à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), reclamações contra as operadoras quando considerar que elas não estão cumprindo suas obrigações? O ideal é que fale primeiro com a operadora, anote e guarde o protocolo de atendimento que ela fornecer. Esse protocolo vai ser a prova de que a operadora sabe do problema e lhe deve uma resposta. Se a empresa não responder, ou se a resposta não for adequada, você pode entrar em contato com a Anatel.

Para isso, pode ligar gratuitamente para o número 1331. A central de atendimento funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h. Para registrar e acompanhar reclamações, fazer denúncias, pedidos de informações e sugestões pela internet, acesse o site anatel.gov.br, entre na aba “consumidor” e clique em “fale conosco”. Lembrando que esse acesso ao sistema é feito mediante cadastro do usuário.

Deixe seu comentário