Predominando. Somente cinco regiões foram classificadas como vermelha enquanto 16 estão na bandeira laranja

Após uma semana na bandeira vermelha a Região 08 – que engloba alguns municípios do Vale do Caí, dentre eles Montenegro – retorna a classificação laranja no modelo de Distanciamento Controlado do Estado. O resultado definitivo da 19ª rodada foi divulgado no final da tarde dessa segunda-feira, 14, pelo governo do Estado.

A análise do Gabinete de Crise classificou cinco regiões em bandeira vermelha (risco epidemiológico alto para Covid-19), enquanto as outras 16 regiões estão ficaram na bandeira laranja (risco epidemiológico médio). As regiões de Erechim, Passo Fundo e Santa Maria seguem na bandeira vermelha, e juntam-se a Porto Alegre e Palmeira das Missões, que não recorreram. Das regiões em vermelho, somente Santa Maria não adota o sistema de cogestão, assumindo protocolos próprios.

Segundo o governo, em todo o Rio Grande do Sul, houve queda em alguns indicadores, como hospitalizações (-7%) e internados em leitos clínicos (-14%). Ocorreu também estabilização no número de leitos livres. Há 10 semanas como bandeira vermelha, no dia 1 de setembro a região obteve a classificação mais branda do modelo, porém na última semana havia retornado a bandeira vermelha. Como a R08 obteve melhoras nos indicadores, o Estado decidiu passar para a laranja novamente.

Mesmo que seja classificada como vermelha, a R08 tem a possibilidade de aderir os protocolos da bandeira laranja já que está habilitada no modelo de cogestão, no qual as regiões Covid podem adotar protocolos menos restritivos à bandeira na qual estão classificados, mas no mínimo iguais à bandeira anterior. A Região 08 – que tem o município de Canoas como referência- adota desde o início os protocolos do modelo, mas como esta semana está classificado bandeira laranja pelo Estado não teria necessidade de utilizar da cogestão.

Montenegro, Pareci Novo, Brochier e Maratá são alguns dos municípios que podem adotar os protocolos regionais, conforme os decretos municipais nos seus sites. A adoção de protocolos alternativos não altera as cores do mapa definitivo. A vigência das bandeiras da 19ª rodada começa à 0h de terça-feira, 15, e se encerra às 23h59 de segunda-feira, 21.

Montenegro segue sem poder reabrir as escolas
O governo do Estado definiu, no início de setembro, um calendário para o levantamento das restrições a atividades presenciais em escolas do Rio Grande do Sul. As restrições serão levantadas, de forma escalonada, seguindo um protocolo único para o Estado (ou seja, sem aplicar regras próprias pelo regime de cogestão), e em regiões que estejam há duas semanas na bandeira laranja ou amarela (a semana atual e a anterior).

De acordo com a regra, a R08 e seus municípios ainda não têm a permissão para o retorno das aulas presenciais, pois na última semana foi classificada como vermelha. Mas se na próxima segunda-feira, 14, a região receber novamente a bandeira laranja, terá a permissão da reabertura das escolas.

Ajustes em indicadores
A atual fase da pandemia, na qual a ocupação de leitos de UTI por Covid-19 indica um estágio de estabilização, permitiu, nesta semana, que o governo do Estado realizasse uma revisão de dois indicadores do Distanciamento Controlado que medem a capacidade de atendimento da rede hospitalar. Nas primeiras semanas do modelo de bandeiras, para que uma região alcançasse a classificação amarela, por exemplo, era preciso apresentar sempre um número maior de leitos de UTI livres do que na semana anterior (tanto na região quanto no Estado como um todo).

Devido a estabilidade de ocupação por Covid-19 nos últimos dias, foi identificado pelo Estado um aumento de pacientes em UTI por outras razões (a ponto de reduzir o número de leitos livres), atendendo parte da demanda reprimida durante os meses anteriores. Ou seja, há possibilidade de haver redução de leitos livres de UTI mesmo que a pandemia se mostre estável.

No formato que vigorou até a 18ª semana do modelo, essa situação poderia representar aumento de regiões sob bandeira vermelha, mesmo sem uma maior ocupação de leitos e de hospitalizações por Covid-19. O ajuste específico nesses dois indicadores estabeleceu novos parâmetros de redução dos leitos de UTI livre para classificações de bandeira: amarela (até 10%), vermelha (até 17,5%), vermelha (até 25%) e preta (acima de 25%).

Deixe seu comentário