Maratá é o município do Vale do Caí com o maior índice de vacinação. Foto: divulgação Prefeitura de Maratá

Imunização. Montenegro está pouco abaixo da média do Estado

Desde o início da campanha de vacinação contra o novo coronavírus no Estado, em janeiro, mais de 2 milhões de imunizantes foram aplicados em todo o Rio Grande do Sul. Passados mais de 80 dias desde o começo da campanha, o município do Vale do Caí que se destaca na imunização é Maratá, que já aplicou a primeira dose em 667 pessoas, o que representa 24,9% da população total (2.680 pessoas).

Logo atrás neste ranking está São José do Sul, que já vacinou 22,5% da população com a primeira dose e lidera os números do Vale do Caí referentes à aplicação da segunda dose, com 8,1% da população vacinada. Brochier também está acima da média estadual, com 22,3% da população imunizada com a primeira dose. Segundo os dados oficiais da Secretaria Estadual da Saúde (SES) dessa segunda-feira, 12, a média de população vacinada por município com a 1ª dose é 18,67%.

Em Maratá, a Secretaria de Saúde não adotou o sistema drive-thru, como ocorre em Montenegro, por exemplo. Por lá, a secretaria faz contato com os cidadãos de cada grupo a ser imunizado e agenda a aplicação individualmente, conforme as listas das agentes de saúde. A Administração Municipal afirma ainda que adota medidas de transparência, publicando semanalmente o quadro do número de doses recebidas e aplicadas. Além disso, os cidadãos que não atendem às ligações ou não podem ser contatados, recebem alertas por meio das redes sociais e do site da Prefeitura para que entrem em contato com a Secretaria de Saúde para o agendamento.

A secretária de saúde do Município, Cláudia Elisabete Schneider Röder, explica os motivos que fazem Maratá ser a cidade da região com o maior percentual de pessoas imunizadas até o momento. “O nosso sucesso está ligado ao apoio da toda a equipe. As Agentes Comunitárias de Saúde (ACS) que colaboram com as listas do público a ser vacinado, bem como o apoio da própria população que avisa quando não vem no dia agendado, para assim chamar outra pessoa, evitando o desperdício de doses”, frisa.

Cláudia destaca, ainda, que é fundamental o trabalho da assessoria de imprensa que divulga, informa e atualiza a população acerca da vacinação contra a Covid-19, permitindo que todos estejam informados sobre o andamento da campanha e todos os seus detalhes. A secretária ressalta também o trabalho dos motoristas e da equipe do Centro de Saúde. Ela salienta que todas as doses recebidas são aplicadas e, até o momento, houve aproveitamento de 100% das doses recebidas, sem qualquer desperdício.

Montenegro já vacinou mais que o número divulgado pelo Estado
Oficialmente, o Estado informa que Montenegro já aplicou 7.951 vacinas referentes à primeira dose (12,3% da população) e 2.200 imunizantes da segunda dose (3,4%). No entanto, na última semana a Administração Municipal comunicou à reportagem do Ibiá que o Município já havia aplicado 10.186 vacinas da primeira dose e 4.206 imunizantes referentes à segunda dose, o que representa 15,72% e 6,49% da população total vacinada, respectivamente.

O processo de vacinação é constituído por duas etapas. Primeiro, ocorre a aplicação das doses. Na segunda etapa, o Município faz o preenchimento de um relatório sobre cada vacina aplicada, que é encaminhado ao governo do Estado. Através da Assessoria de Comunicação, a Administração Municipal de Montenegro salienta que possui poucos funcionários na área da imunização e, por isso, teve de priorizar a aplicação das vacinas, o que acabou “atrasando” a segunda etapa.
Apesar disso, o Município afirma que, no final da última semana, as informações das cerca de 16 mil vacinas (referentes à primeira e segunda doses) que foram enviadas pelo Estado já haviam sido repassadas, faltando apenas os registros das segundas doses que ainda não foram administradas – devido ao não comparecimento das pessoas na data certa ou porque ainda não chegou o momento exato da aplicação.

A diferença que existe na tabela oficial do Estado em relação aos dados comunicados pelo Município se refere ao lançamento – pela SES – das informações que a Prefeitura de Montenegro afirma já ter repassado. Os números do município estão abaixo da média estadual, mas mais próximos à Capital Porto Alegre, por exemplo, que vacinou 17,7% da população com a primeira dose até o momento.

Além da grande diferença da população montenegrina para os municípios vizinhos, o percentual menor de pessoas vacinadas na cidade também se deve à faixa etária. Em Brochier e Maratá, por exemplo, há mais idosos (em proporção, não em população total) do que Montenegro.

Portanto, não se pode afirmar que a cidade de Montenegro está “atrasada” na vacinação em comparação com outros municípios do Vale do Caí. Percentualmente, o município tem um índice similar ao de cidades com o tamanho populacional semelhante, como Vacaria e Camaquã, que também têm aproximadamente 65 mil habitantes.

Mais dados pela região
Pareci Novo já vacinou 16,1% da sua população com a primeira dose e 4,5% com a segunda. Já São Sebastião do Caí aplicou a 1ª dose da vacina em 13,6% da população e a 2ª dose em apenas 2,4%. De acordo com o Estado, Triunfo registra a segunda menor porcentagem da região em relação à aplicação da segunda dose, com 1,7% da população imunizada (Vale Real aplicou o reforço em somente 1,6% da população). O município de Triunfo aplicou a primeira dose em 12,4% de sua população. Somente uma cidade gaúcha com mais de 5 mil habitantes aplicou a primeira dose em mais de 30% da população, de acordo com a SES. Com 4.552 pessoas vacinadas com a primeira dose (população geral de 13.423 pessoas), Barra do Ribeiro já vacinou 33,9% da população.

Deixe seu comentário