Apenas 13% da população de Montenegro já foi imunizada. Foto: Arquivo Ibiá

Município alega dificuldades no registro, além de grande população idosa e de pessoas doentes

Desde o início da vacinação contra a Covid-19 na região (Vale do Caí mais Triunfo), Montenegro recebeu 34.992 doses de três tipos de vacinas contra a Covid-19 para imunizar a população. Deste montante, já foram lançadas no sistema de controle do governo do Estado, 26.437 aplicações (75,6%), das quais 17.783 correspondem à primeira dose e 8.654 são referentes à segunda. Dos 21 municípios inclusos na região, Montenegro fica atrás somente de Alto Feliz – que aplicou 72,6% das doses recebidas – em relação ao atraso na aplicação das vacinas.

Há cinco meses a vacina contra a Covid-19 está sendo aplicada na região. Segundo a atualização do painel de dados disponibilizado pela Secretaria Estadual da Saúde (SES), no site www.vacina.saude.rs.gov.br, dessa quinta-feira, 17, o Vale do Caí mais Triunfo já recebeu 131.723 doses, das quais 112.312 foram aplicadas até o momento. Ou seja, 85,26% das vacinas recebidas na região já foram aplicadas.

A média de aplicação dos municípios está entre 80% e 100%, e somente três municípios ficam na faixa dos 70%. Entre eles está Alto Feliz (72,6%), Montenegro (75,6%) e Pareci Novo (78,1%). Maratá (98%) é um dos campeões de imunização. Em Montenegro, por exemplo, somente 13% da população já foi imunizada com as duas doses, e 28% com a primeira.

A diferença entre as doses que foram entregues ao Município e o que está registrado no sistema do Estado gerou críticas nas redes sociais à Secretaria Municipal da Saúde de Montenegro. Além disso, diversas pessoas questionaram se não estariam “sobrando” vacinas, mesmo que nem sempre haja imunizantes disponíveis para a população nos postos e no drive-thru do Parque Centenário.

Segundo a secretária Cristina Reinheimer, desde quando a campanha iniciou, a grande preocupação da pasta foi a aplicação imediata das doses. “A equipe infelizmente é pequena e estamos trabalhando no drive-thru e nos postos. Além disso, ao mesmo tempo, ocorre a imunização contra a Gripe. Cada unidade aplicada requer o preenchimento de um formulário on-line, tarefa que leva até 10 minutos. Para piorar, o sistema trava com frequência. Esta semana, por exemplo, ficamos um turno inteiro sem conseguir utilizá-lo”, explica. Ela ressalta, que nos últimos dias foram postas mais pessoas na digitação e, em breve, estará tudo atualizado.

População idosa e pessoas doentes
Apesar de algumas cidades da região já estarem vacinando pessoas com 50 anos sem comorbidades e até menos, Montenegro está na faixa dos 54 anos. A secretária destaca que a ordem de vacinação dos grupos prioritários é definida pelo Ministério da Saúde e na cidade a demanda nesses grupos foi praticamente zerada. “Montenegro possui uma população idosa muito grande e número elevado de pessoas doentes. Ficamos surpresos, por exemplo, com a quantidade de laudos atestando hipertensão”, fala.

Para Cristina, fazer comparações de municípios e realidades diferentes costuma ser injusto. “Estas cidades que estão vacinando a partir dos 50 anos já disponibilizaram a vacina a todos os professores, a todos os caminhoneiros, à população privada de liberdade, aos motoristas de ônibus, aos deficientes e aos moradores de rua? Nós, sim! É isso que precisa ser avaliado”, completa.

Em relação aos lançamentos estarem atrasados no sistema do Estado, a secretária da Saúde explica que isso não reduz a liberação de vacinas para a cidade, e que em diversas outras a situação é a mesma.
“A remessa das vacinas é feita pelo Estado com base em informações estatísticas, no histórico médico da população e na adesão a outras campanhas de vacinação, como a da Gripe em anos anteriores. Diariamente pressionamos por mais vacinas”, concluí.

Deixe seu comentário