Saúde é o que interessa, o resto não tem pressa, já dizia o Paulo Cintura. Eu, particularmente, não gosto de esperar. Tenho horror a filas. Fico incomodado em ficar muito tempo aguardando. É característica minha, não sei dizer se é positivo ou negativo, apenas não gosto, ponto nova linha travessão.

Na esfera pública tudo é muito demorado. O morador aguarda anos para ter seu problema resolvido. Já recebi demandas no gabinete onde a pessoa disse que estava há dez anos correndo atrás de solução pela prefeitura. Dez anos!! Correndo de secretaria em secretaria, protocolos mil, empurra daqui, mente de lá, desconversa. E o tempo vai passando sem que haja respeito, ou pelo menos interesse em resolver o problema do cidadão. A primeira coisa que faço numa situação dessas é entender o problema. Depois pegar o contato da pessoa para dar o retorno, mesmo que seja negativo, porque às vezes realmente não há solução. Mas na maioria das vezes foi por incompetência ou falta de ‘QI”.

Imagina aguardar anos para realizar um exame de saúde? Esperar dois anos para receber um diagnóstico de alguma doença. Não tenho capacidade de mensurar o desespero de quem passa por uma situação dessas. O sentimento de impotência de alguém que sofre com alguma moléstia e não consegue saber o motivo ou precisa esperar tanto tempo para tomar uma decisão que às vezes pode ser tarde demais.

Em Montenegro, em que pese o excelente trabalho da Secretaria Municipal de Saúde, temos uma fila de mais de quatro mil pessoas aguardando a realização de exames. Quase 6% da população está aguardando para receber um diagnóstico. Os motivos são os mais variados, porém isso é o que menos importa. O importante é que milhares de pessoas, moradores e contribuintes do município não têm suas necessidades de saúde, nesta área, atendidas.

Pensando nisso e por ser da área de saúde, já que é fisioterapeuta, o prefeito Gustavo Zanatta lançou o programa FIM DA ESPERA que visa exatamente isso: terminar com a espera desses milhares de moradores por exames.

Sabemos que isso é apenas uma ponta do Iceberg porque o simples fato de realizar um exame não resolve, na maioria das vezes, o problema. Pelo contrário, normalmente é aí que eles iniciam, mas pior seria deixar para quando não há mais solução. Sem contar com as dores sem que se conheça os motivos.

Os recursos para este programa serão oriundos de emendas parlamentares enviadas por alguns deputados parceiros como Mauricio Diezedrick que desde antes da campanha já tinha forte ligação com o Município. Não só do partido do Prefeito (PTB) houve aporte que agora serão canalizados para o fim da espera. Luciane Bayer (PSB), Jeronimo Goergen (PP) e Carlos Gomes (Republicanos) também enviaram emendas, demonstrando que a boa relação com a câmara de vereadores, pois é através deles que estes deputados chegam ao município, produz ótimos frutos.

São ações assim que traduz o quanto o gestor atende as demandas dos munícipes. E não estamos em época de campanha eleitoral. Quando há eleição sabemos que os cofres se abrem e até o estagiário corre atrás de eleitor necessitado, tudo de olho no retorno da urna eleitoral. Esta administração está interessada em atender as necessidades dos moradores em primeiro lugar e não somente na área da saúde e não apenas quando há campanha. Aplicar inteligentemente os recursos que chegam através de emendas parlamentares é o mínimo que se espera de uma adminsitração.

Deixe seu comentário