A Bíblia é farta em exemplos, tanto positivos como negativos. Temos no Genesis a história de Caim e Abel. Eram irmãos, filhos de Adão e Eva. Moravam no jardim do Éden sozinhos com o primeiro casal humano.

Pois bem, sabemos pelo texto sagrado que Caim matou Abel no que seria o primeiro homicídio da história. Agora, porque houve este crime? O que motivou um irmão a assassinar o outro? Viviam no paraíso. Não precisavam trabalhar. Não tinha carnê do IPTU nem Imposto de Renda. Não precisavam fazer supermercado. O dólar nem existia. Estavam no início da vida na terra. Não precisava dividir o videogame. Qual motivo, então?

Da mesma forma, mais adiante, no Livro do Genesis aparece a história de José. O filho amado de Jacó, bisneto de Abraão, o Pai da Fé. Esse não foi morto pelos irmãos, mas foi colocado em um buraco e vendido aos mercadores Egípcios. Já contei aqui em outro texto esta história. Imagina você com 18 anos sendo vendido pelos próprios irmãos e dado como morto aos seus pais?

Seguindo os exemplos negativos, adiante nos livros de Samuel e Reis temos a história de Saul e Davi. Saul foi o primeiro rei de Israel. O rei que o povo pedia. O rei que o povo cansado de ser governado por Juízes, mais ou menos como o Brasil de hoje, tanto pediu ao Criador e Ele concedeu.

Este rei tão esperado, tão aguardado, tão solicitado pelo povo acabou louco, foi destituído do trono. Em seu lugar foi ungido o pastor de Ovelhas Davi. Um baixinho, franzino, sétimo filho do seu Jessé. Saul perseguiu Davi quando soube que o baixinho iria lhe substituir.

O que estes três personagens têm em comum? O ciúme. A inveja. E a proximidade entre eles. Caim e Abel eram irmãos assim como José e os outros 11 e Davi era genro de Saul.

Não sentimos ciúmes de quem não conhecemos, sentimos de quem está próximo de nós e tem maior sucesso.

Caim não suportou ver o irmão mais valorizado por Deus. Não aguentou que o Irmão ofereceu melhores ofertas ao Eterno. Ao invés de reconhecer sua falha e melhorar seu presente, procurar saber o porquê Caim agradou mais, preferiu acabar com a vida do próprio irmão. Leia lá em Genesis qual foi sua condenação.

Já Saul ficou com ciúmes quando viu que Davi fora escolhido pelo próprio Deus e não pelos homens. E que por isso era ainda mais admirado que ele pelo seu povo.

Se tivesse rede Social, teria tido mais Curtidas, ai que ódio…

Os irmãos de José, da mesma forma, não suportaram ver o amor de Jacó pelo filho mais novo. A solução foi vender o caçula para outro povo. Tirar o irmão da vista do patriarca, mesmo que isso causasse dor e sofrimento tanto a um quanto a outro.

Invejosos são assim. Não se importam com o dano causado. Apenas corroem-se pelo sucesso alheio. Se você compra um carro novo, logo o ciumento já fala: “tem que estar roubando” Se anda bem vestido: “Quer aparecer”. Se troca de casa: “ Hum, quero ver pagar”. Se faz uma Obra: “Tem esquema”.

Eles não procuram saber o quanto você deu duro para estar onde está. Não querem saber o tamanho do carnê. Não querem saber o sacrifício que você fez para adquirir algo ou obter sucesso. Apenas sentem-se incomodados e ofuscados pelo seu brilho.

Na política este sentimento fica mais exacerbado ainda porque geralmente envolve a aceitação pelo povo de ações de governo. Quando um governante tem a chance de realizar algo, e não o faz, e logo depois vem outro e realiza, o ciúme aflora. A inveja corrói. Ainda mais quando estão rodeados de baba ovos.

Não deveria ser assim porque a política só existe para beneficiar a todos, independente de quem tenha feito. É vergonhoso quando um político deixa de fazer algo apenas porque foi seu adversário que começou.

No caso das Rótulas da RSC-287, o prefeito Zanatta poderia ter escolhido um projeto seu. Poderia não utilizar o que já estava pronto do Governo anterior. Apresentar novo projeto para o problema que dura mais de 30 anos e que tem ceifado vidas. Mas se fizesse isso se igualaria aos ciumentos de plantão. E talvez não resolvesse uma de 40 anos. Talvez ficássemos aguardando a boa vontade política enquanto muitos perderiam sua vida ao tentar atravessar a rodovia. Mas para os ciumentos isso não importa.

Ciumentos. Invejosos. Dignos de pena, mas a eles basta seu próprio fim. Como os personagens Bíblicos. Leia lá em Genesis, Samuel e Reis, como Saul deixou de ser um poderoso Rei para conviver com sua loucura, como Caim teve seus últimos dias e como José deu um tapa de Luva nos seus irmãos.

Compartilhar

Deixe seu comentário