Concursos são, grande parte das vezes, a porta de entrada de muitos no mundo da literatura.
Com o intuito de descobrir talentos, incentivar a leitura e a escrita, e por ocasião de sua Mostra Literária, cujo tema em 2018 é Caixa de Memórias, a Escola Municipal de Ensino Fundamental José Pedro Steigleder promoveu seu primeiro concurso. Nesta semana e na próxima, compartilhamos com os leitores do Jornal Ibiá os vencedores:

Categoria Professor/Funcionário: LUANA PORTO MONTEIRO

QUERIDOS ALUNOS

Eu os vejo todos os dias. Imagino como são suas rotinas, suas casas, suas famílias, quais as disciplinas favoritas e em quais sentem dificuldade. Imagino quais sejam seus planos para o futuro e torço silenciosamente pelo sucesso de todos. Fico preocupada quando alguém desvia do caminho. Queria tanto que pudessem se ver como eu vejo: tão cheios de energia e possibilidades. Tão curiosos e ansiosos.

Quero que aproveitem o tempo que têm agora para mais tarde sentirem saudade das coisas boas e refletir com o que aprenderam das coisas que não deram certo. Espero encontrar uma próxima geração, outra e outra. Quero ver todos passando por aqui, correndo pelos portões, abraçando o futuro. De mãos dadas com o futuro.

Quero aplaudir, quero acolher, quero ter certeza de que todos terão para onde voltar caso sintam necessidade. Afinal, dizem que sou como a segunda casa deles, e somos, mas não estou apenas neste endereço; todos que passaram por aqui carregam um pouquinho de mim, seja em fotos, nas suas memórias, ou em seus corações.

Eu não posso sair daqui, mas os aguardo todas as manhãs e tardes para alegrarem minha existência. Eu, realmente, não existiria sem vocês. Estarei aqui, em silêncio, os observando e admirando. Esperando que voltem… de braços e portões abertos.

Com amor, sua Escola JPS

Categoria Crônica/Conto turno da tarde:
TAÍSE TEIXEIRA – 8 anos
Turma 33 – Professora Liana Marta Kochenborger

O JOÃO-DE-BARRO QUE CAIU DO NINHO

Aqui na escola tinha um ninho de João-de-Barro. Havia, no ninho, três João-de-Barro: a mãe, o pai e o filhote. Os pais tiveram que sair para buscar comida e deixaram o filhote sozinho no ninho.

Com medo, o filhote saiu do ninho, mas como ele não sabia voar, caiu e não conseguiu voltar. Mas, para sorte dele, era recreio dos alunos da escola que viram o passarinho e devolveram ele ao seu ninho. Os pais do passarinho voltaram e trouxeram comida e o passarinho viveu feliz para sempre.

Moral da história: Ser educado e ajudar quem precisar sempre que puder!

Deixe seu comentário