Depois do nascimento do menino Jesus e da manifestação aos pastores celebramos, no dia 6 de janeiro a festa dos Reis Magos.
O nome oficial da festa dos Reis Magos, “Epifania”, significa manifestação ou revelação. Contemplamos o paradoxo da grandeza divina e da fragilidade da criança no menino Jesus. Os “magos” – astrólogos ­vindos do Oriente – seguiram o caminho da estrela para adorar um menino do qual não sabiam nome nem paradeiro. Essa história dos reis magos quer nos ensinar que Jesus é aquele que merece adoração universal, o Messias. E acena também à missão da Igreja, de anunciar a salvação universal.
A estrela conduziu os magos a uma criança pobre, que não tinha nada de sensacional. Mas o rei Herodes, cioso de seu poder, pensou que Jesus fosse poderoso e, portanto, perigoso. Esse rei, que tinha mandado matar seus próprios filhos e sua mulher, mandou, para que Jesus não lhe escapasse, matar todos os meninos de Belém.
Deus se manifesta ao mundo numa criança, e nós somos capazes de matá-la, em vez de reconhecer nela a luz de Deus. Por que Deus se manifestou numa criança? Esquisitice, para nos enganar? Nada disso. Salvação significa ser libertado dos poderes tirânicos que nos escravizam, para realizar a liberdade que nos permite amar. Pois para amar é preciso ser livre, agir de graça, não por obrigação nem por cálculo. Por isso, a salvação que vem de Deus não se apresenta como poder opressor, como o de Herodes. Apresenta-se como uma criança aparentemente sem valor.
No início do evangelho de Mateus, a salvação universal manifesta-se numa criança; no fim dos ensinamentos de Jesus, o critério do juízo final será a caridade gratuita realizado ao pequenino (Mt 25,31-46). O pequenino de Belém é venerado como rei, e no fim do evangelho, esse “rei” julgará o universo, identificando-se com os mais pequeninos: “O que fizestes a um desses mais pequenos, que são meus irmãos, a mim o fizestes” (Mt25,40).
Deus não precisa nos esmagar com seu poder para se manifestar. Nem precisa do palco de uma TV mundial para se dar a conhecer. Para ser universal, prefere o pequeno, pois só quem vai até os pequenos e os últimos é realmente universal. Falta-nos a capacidade de reconhecer no frágil, naquele que o mundo procura excluir, o absoluto de nossa vida – Deus. Eis a lição que os reis magos nos ensinam.
PROGRAMAÇÃO
4.01.2019 –Sexta-feira
18h30 – Missa na Catedral
5.01.2019- Sábado
15h30– Missa na Comunidade Na. Sra. do Rosário
16h- Missa na Comunidade de Pinheiros
17h- Missa na Catedral
17h30 – Missa na Com. Na. Sra. dos Navegantes
19h- Missa na Comunidade Santo Antônio e Missa na Comunidade Imaculado Coração de Maria
6.01.2018- Domingo
7h- Missana Catedral
8h30 – Missa na Comunidade Bom Pastor
9h- Missana Catedral
10h- Missa na Comunidade Na. Sra. das Graças
10h- Missa de kerb e Culto na Comunidade de Santos Reis após almoço e Baile na Sociedade
19h- Missa na Catedral
08.01.2019 –Terça-feira
18h30 – Missa na Catedral
9.01.2019-Quarta-feira
18h30 – Missa na Catedral
19h30 – Benção do Santíssimo na Catedral
20h- Encontro de Oraçãona Catedral
10.01.2019– Quinta-feira
18h30- Missa na Catedral

Deixe seu comentário