No centro desta liturgia está o tema do amor a Deus e ao próximo, definido por Jesus, como o maior mandamento da Lei e o coração de toda a escritura. É isso o que afirma o Evangelho, no qual Jesus responde a um questionamento dos fariseus, mostrando não apenas o primado do amor sobre os demais mandamentos, mas também afirmando que o amor a Deus é inseparável do amor ao próximo. Sem dúvida, essa é uma das novidades da mensagem de Jesus, constituindo centro da experiência de vida cristã a conclusão de Jesus, no entanto, foi preparada pela escritura, e a primeira leitura é uma demonstração disso: os cuidados especiais com as pessoas mais vulneráveis, com o estrangeiro, a viúva, o órfão e o pobre, são expressões do único amor que o ser humano deve a Deus. A perseverança e o fervor dos Tessalonicenses, não obstante os desafios demonstram quanto o amor estava enraizado neles, graças ao testemunho de Paulo, como ensina a segunda leitura deste domingo.
Jesus eleva o amor a Deus que se manifesta imediatamente no amor ao próximo ao nível dos mandamentos mais importantes! Ele anuncia uma nova maneira de se relacionar com Deus, não mais com base na observância dos mandamentos, mas na acolhida e na prática do seu amor. “Atrás do próximo que o chamado de Jesus nos recomenda, está, também, para Jesus, o distante, a saber, Jesus Cristo mesmo, o próprio Deus”. Quem não souber desse distante atrás do próximo e desse distante, ao mesmo tempo, como o próximo, não serve ao semelhante, mas a si mesmo; esse foge do espaço aberto da responsabilidade para a estreiteza do cômodo cumprimento do dever. Também o mandamento do amor ao próximo não significa, portanto, uma limitação legalista da responsabilidade ao próximo em termos de proximidade física, de classe, profissão ou parentesco. O próximo pode muito bem ser alguém que está distante, e este, por sua vez, ser o meu próximo.
O amor é o princípio unificador da fé hebraica e cristã. “Amarás”! Deus é amor e o maior dos mandamentos é amar. Deus nos ordena amar. Comandar significa “mandar-juntos”: Deus nos manda juntos com o amor, para que a sua vida se torne também nossa. O amor, na verdade, torna-nos semelhantes, e faz com que a vida de um se torne aquela do outro, pois amar significa ter o outro no coração.
Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos. Permanecei na unidade para que o mundo possa crer. Lembre-se: não podemos separar o amor a Deus do amor ao próximo. Minha vida é regida pelo mandamento do amor?

Pe. Luciano Royer

Horário das Missas na Matriz: Sábado 19h | Domingo 8h30min e 19h | Quarta-Feira 19h
Sábado 19h e Quarta-feira 19h | Missas transmitidas pelo Facebook
Missas Sábado 24/10/2020
16h30min – Comunidade Nossa Senhora Aparecida (Assentamento)
19h – Com. São Pedro e São Paulo (Matriz)
Missas Domingo 25/10/2020
8h30min – Comunidade São Pedro e São Paulo (Matriz)
10h – Comunidade Santo Antônio (Aeroclube)
10h – Comunidade Menino Jesus de Praga (Trilhos)
19h – Comunidade São Pedro e São Paulo (Matriz) com benção e envio das Capelinhas
Quarta-feira 28/10/2020
19h – Com. São Pedro e São Paulo (Matriz)

Deixe seu comentário