Da imagem da Vinha, presente nos últimos três domingos, a liturgia passa à imagem do banquete, como símbolo bíblico privilegiado para expressar o projeto de felicidade e vida plena que Deus tem para toda a humanidade. É imagem que evoca comunhão, diálogo, intimidade, alegria, amor e abundância; enfim, é, acima de tudo, sinal de festa. Deus nos criou para viver tudo isso, como mostra a liturgia deste dia, especialmente a primeira leitura e o Evangelho.
Jesus conta uma parábola aos sumos sacerdotes e os anciãos do povo para falar do Reino de Deus. Aqui Deus é imaginado como Rei. Os convidados pouco caso fizeram do seu convite, cada um deu a sua desculpa: um foi para o campo, lugar de produção; outro foi para seus negócios, lugar do mercado/comércio; outros ainda agiram de forma hostil contra os empregados do Rei. Ninguém se dignou a participar do banquete nupcial; todos tinham outras prioridades. A sala ficou cheia quando os empregados foram às encruzilhadas e convidaram maus e bons. O convite é aberto a todos, maus e bons. Mesa cheia de convidados, sem discriminação alguma, é motivo de muita alegria.
A parábola mostra ser necessário ir além dos caminhos de Jerusalém, ou de Israel, já que os “da casa” tinham outras prioridades. A proposta do Reino é dirigida a todos os povos, sem discriminação, mas exige comprometimento, expresso pelo “traje de festa”, a ser vestido. Entra no Reino quem acolhe o convite gratuito do Rei e veste a roupa adequada, sinal do compromisso com o projeto de Jesus. Como seria bom ver a mesa cheia de convivas que participam do banquete proposto por Jesus! Como é bom ver pessoas vestindo o traje do compromisso com o Reino de Deus! Infelizmente, porém, muitos continuam surdos aos apelos que não sejam os do seu próprio interesse e não se abrem aos apelos que poderiam transformar a vida e a realidade. Mesmo assim, Deus não se cansa de convidar, pois tudo está preparado e seu desejo é que a sala fique lotada de gente.
Mais uma vez, o Evangelho nos chama à festa do amor, em torno da mesa repleta de convidados, que partilham alegrias e esperanças. Na correria do dia a dia, nem sempre sobra tempo e espaço para a fraternidade e a partilha. Deus nos quer ver todos juntos, sentados com Ele em torno de uma mesma mesa, para desfrutar de uma vida feliz sem discriminação nem rejeição de ninguém.
Afirma o Papa Francisco: “Jesus não quer discípulos capazes de repetir fórmulas aprendidas de memória. Quer testemunhas: pessoas que propagam esperança com o seu modo de acolher, de sorrir, e amar. Sobretudo de amar: porque a força da ressurreição torna os cristãos capazes de amar mesmo quando o amor parece ter perdido as suas razões”. A mesa está preparada. Vinde todos para a festa… Ainda, escutamos o convite ou estamos com várias desculpas?
Pe. Luciano Royer

Horário das Missas na Matriz: Sábado 19h | Domingo 8h30min e 19h | Quarta-Feira 19h
Sábado 19h e Quarta-feira 19h | Missas transmitidas pelo Facebook
Missa Sexta-feira 09/10/2020
19h – Comunidade Menino Jesus de Praga (Trilhos)
Missas Sábado 10/10/2020
16h30min – Comunidade Nossa Senhora Aparecida – (Assentamento)
19h – Com. São Pedro e São Paulo (Matriz)
10/10/2020 – 9h | Reunião Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão
Missas Domingo 11/10/2020
8h30min e também às 19h Com. São Pedro e São Paulo (Matriz)
10h – Comunidade Santo Antônio (Aeroclube)
Segunda-feira 12/10/2020 – Feriado de Nossa Senhora Aparecida
18h – Procissão motorizada saindo do Assentamento (UNISC)
18h30min – Rosário | 19h – Santa Missa (na matriz)

Deixe seu comentário