Nossa frágil inteligência não consegue captar todo o sentido e alcance do diálogo de Jesus com o pai no Evangelho deste domingo. Nossas pobres palavras não conseguem expressar toda a profundidade nele existente. Percebemos neste diálogo, um relacionamento carinhoso entre os dois. Ouvimos do Mestre palavras tão intensas e, ao mesmo tempo, vemo-lo dirigir-se ao Pai com simplicidade e familiaridade.
O Mestre nos diz que seu Pai revelou “estas coisas” aos pequeninos e as ocultou aos sábios e entendidos. Estes são constituídos das elites políticas culturais e religiosas do seu tempo. Tais elites não conseguem entender a opção de Jesus e seu Pai pelos pequenos e pelos pobres. Só quem se despe de suas atitudes arrogantes e autorreferenciais consegue acolher a mensagem do Mestre.
A seguir, o Evangelho revela a relação entre Jesus e o Pai. Este confiou seu projeto de vida ao Filho. Com suas práticas libertadoras, Jesus revela e dá a conhecer seu Pai. Tudo o que o Pai tem a nos dizer, ele o entregou ao Filho. Este, por sua vez, o revelou aos pequeninos, abertos à sua mensagem.
Jesus então passa a se dirigir aos que estão “cansados e fatigados” e os convida à aderir a Ele, prometendo-lhes descanso. Preocupa-se com o povo que vive cansado sob o peso dos impostos, da falta dos mais elementares recursos e da obrigação de observar certas leis moralistas e opressoras. A proposta do Mestre é aliviar os oprimidos pelo fardo imposto por leis excludentes, que corroem a dignidade de enormes contingentes de pessoas, e pela religião legalista e moralista dos “sábios” e “entendidos”, que buscam o próprio bem-estar servindo-se dos fiéis.
O Evangelho nos desafia a sermos mansos e humildes de coração numa sociedade violenta, permeada de ódio e violência. Jesus convida a todos os que estão sobrecarregados pelo peso das observâncias legais a encontrar nele descanso e suavidade, pois ele é manso e humilde de coração, capaz de aliviar e consolar o povo sofrido, desfazendo ódios e divisões.
Muito bela a oração que faz brotar 14º domingo: “O Deus revelais o Vosso Reino e o dais em herança ao simples e puros de coração. Fazei-nos humildes, livres e felizes, para que a nossa vida seja semelhante à do Vosso Filho, Jesus Cristo. Que ele nos ajude a enfrentar os desafios de todos os dias e a anunciar a alegria que brota da fé e da vossa bondade. Por Cristo nosso senhor. Amém”
Pe. Luciano Royer

Missas na matriz
limitado a 30 pessoas:
Sábado 19h | Domingo 8h30min e 19h | Quarta-Feira 19h
As missas transmitidas pelo Facebook na Quarta-feira 19h e Sábado 19h
*Primeiro final de semana do mês, coleta do quilo*
No dia 05/07/2020 – será oferecido um galeto para levar para casa, ao custo de R$ 20,00.
Adquira junto à diretoria, festeiros e/ou secretaria paroquial.

Deixe seu comentário