Iniciando um novo ano na Igreja, iniciamos igualmente um novo tempo. O Advento é talvez um dos períodos mais bonitos do ano, pois se vive em espírito de alegria, de luz, de espera, o grande acontecimento do Natal.
Esse tempo que prepara a vinda do Senhor é marcado por uma feliz espera. Não é uma expectativa passiva, mas ativa, na vigilante e alegre espera do Senhor. A principal atitude que marca o cristão durante esse período é a esperança, sempre na confiança de que a vida humana está apontada para o encontro definitivo com o Senhor na vinda gloriosa.
Porém, como qualquer grande festa, é preciso que haja uma autêntica e sincera preparação. Não podemos simplesmente celebrar o Natal como se fosse uma data qualquer ou um dia apenas, mas quatro semanas que antecedem essa grandiosa celebração, as quais nos convidam a entrarmos no espírito de oração e mergulho no mistério divino, para naquela belíssima noite iluminada cantarmos: “Noite Feliz…”.
Contudo, vivemos um período histórico em que esvaziamos o verdadeiro sentido de cada tempo, ou festa, ou celebração. Sabemos que o Natal nasceu num contexto pagão e acabou sendo transformado pela Igreja numa celebração cristã. Parece-nos que estamos retrocedendo no tempo, voltando ao paganismo original, novamente transformando a festa natalina em um momento social e cultural apenas. Movidos pelo elã consumista, “animados” por um comércio voraz nos seus negócios, parece que somos instigados sempre mais a fazer desses momentos grandes eventos externos, sem uma vivência interior que nos converta e nos coloque no caminho do Senhor e dos irmãos.
Desse modo, como cristãos, somos convidados a não perder a essência desse grande acontecimento, no qual meditamos o grande mistério de um Deus capaz de se tornar humano como nós e junto conosco, o “Deus Emanuel”. Através dele, assumimos uma espiritualidade encarnada, junto aos pequenos, humildes e pobres. O Natal nos leva aos menores, pois o mistério maior que impregna o espírito natalino é o “êxodo” de Deus, que sai da sua majestade para tornar-se humano junto conosco.
Celebremos com fé e esperança esse tempo, clamando: “Vem, Senhor Jesus, o mundo precisa de ti”.
Pe. Ricardo Nienov – Pároco

PROGRAMAÇÃO

30/11 – 16h – missa na Casa de Amparo “Mão de Deus”
20h – missa na comunidade N. Sra. Aparecida – Muda Boi c/entrega da lei
01/12 – 8h – ensaio de cantos aberto à comunidade c/o Prof. Adriano
8h – reunião da pastoral do dízimo – salão paroquial
15h30 – encontro de encerramento dos coroinhas
15h30 – encontro festivo de encerramento da 1ª eucaristia – 2ª etapa
15h30 – missa na comunidade Três Santos Mártires – Passo da Amora
17h – missa na comunidade São Pedro – Potreiro Grande
19h30 – missa na comunidade São Pedro e São Paulo c/encerramento do ano catequético
19h30 – casamento na igreja da Tanac, de Luis Miguel Rodenas e Fernanda Azeredo
02/12 – 8h30 – missa na comunidade São Pedro e São Paulo – Timbaúva
10h – missa na comunidade Santo Antônio – Aeroclube c/entrega da Lei
10h – missa na comunidade N. Sra. da Glória c/entrega da lei
19h30 – missa na comunidade São Pedro e São Paulo c/ entrega da lei
03/12 – 18h30 – preparação da liturgia do fim de semana
04/12 – 14h30 – reunião da pastoral da saúde
15h – encontro das zeladoras de capelinhas
19h – missa na comunidade Sagrado Coração de Jesus – Tanac
19h30 – assembleia paroquial com as comunidades, lideranças, grupos, pastorais, movimentos e aberta a toda a comunidade – salão paroquial (trazer um prato para partilha)
05/12 – 19h30 – missa na comunidade São Pedro e São Paulo – Timbaúva
20h30 – reunião e avaliação dos ministros da comunhão – salão paroquial

Deixe seu comentário