Celebrar a Eucaristia a partir dos sofrimentos do nosso povo: este é o desafio que a liturgia deste domingo nos apresenta. Ao redor de nós, os olhos de milhões de brasileiros não veem a felicidade, cabendo-lhes dias e noites, semanas, meses e anos de sofrimentos e decepção.
Jesus nos ensina a celebrar e a viver a partir das dores do povo (evangelho). Tomando os doentes pela mão e ajudando-os a se levantar, estaremos libertando as pessoas e possibilitando-lhes servir, na liberdade, à causa do Reino.
Evangelizar é a tarefa de todo Cristão. Mas o anúncio do Evangelho não confere títulos de glória nem privilégios. Os que se decidem pelo Evangelho optam, ao mesmo tempo, pela gratuidade e serviço desinteressado, à semelhança de Jesus e de Paulo, que se fizeram servos de todos.
Jesus toca os discípulos caídos por terra para devolver-lhes a confiança: “Levantai-vos não temais.” Quando Pedro começa a afundar, estende-lhe a mão, agarra-o e lhe diz: Homem fraco na fé, por que duvidaste? Jesus é muitas vezes a mão que levanta, infunde força e põe a pessoa de pé.
Os evangelistas destacam, sobretudo, os gestos de Jesus para com os enfermos. São significativos os matizes expressos pelos diferentes verbos. Às vezes, Jesus “agarra” o enfermo para arrancá-lo do mal. Outras vezes, “impõe” suas mãos num gesto de bênção que transmite sua força curadora. Com frequência, estende sua mão para “tocar” nos leprosos num gesto de proximidade, apoio e compaixão. Jesus é mão próxima que acolhe aos impuros e os protege da exclusão. Jesus Cristo é para os cristãos “a mão que Deus estendida a todo ser humano necessitado de força, apoio, companhia e proteção. É essa a experiência do crente ao longo de sua vida, enquanto caminha para o Pai.
Onde está Jesus cresce a vida. É isto que descobre com alegria aquele que percorre as páginas afetuosas do Evangelho de Marcos e se encontra com esse Jesus que cura os enfermos, acolhe os desvalidos, sara os perturbados e perdoa os pecadores. Onde está Jesus, existe amor à vida, interesse pelos que sofrem, paixão pela libertação do mal. Deus é amigo da vida e ama apaixonadamente a felicidade, a saúde o prazer, a alegria e a plenitude de seus filhos e filhas.
Pe. Luciano Royer

Missas Sábado 06/02/2021
16h – Comunidade Três Santos Mártires – Passo da Amora
19h – Comunidade São Pedro e São Paulo (Matriz)

Missas Domingo 07/02/2021
8h30min – Comunidade São Pedro e São Paulo (Matriz)
10h – Comunidade Nossa Senhora da Glória (Germano Henke)
19h – Comunidade São Pedro e São Paulo (Matriz)

Quarta-feira 10/02/2021
19h – Com. São Pedro e São Paulo (Matriz)

Deixe seu comentário