O 3º domingo do Advento é conhecido como “domingo da alegria” e nos convida a alegrar-nos no Senhor, pois sua vinda se aproxima. A alegria cristã tem um fundamento: a certeza de que Jesus é a Luz que ilumina os caminhos e as realidades, é o Messias e Profeta que batiza no Espírito Santo para recriar a humanidade segundo o projeto de Deus.
“Eu não sou o Cristo… não sou Elias… não sou o profeta… Eu sou a voz que clama no deserto”. Estas palavras de João batista estão marcadas por simplicidade e humildade. Expressam sua consciência a respeito da própria missão: indicar os caminhos d’Aquele que virá e abrir estradas para oferecer a todos a possibilidade de um encontro pessoal com Ele.
Para reconhecer os verdadeiros caminhos do Senhor e as estradas que a Ele conduzem, se faz necessário reconhecer os verdadeiros profetas e os autênticos enviados daquele sobre quem repousa o Espírito, promover a obra de discernimento e afastar-se de tudo o que apresenta traços do mal e da mentira. É por isso que o tempo do Advento é também tempo de penitencia e conversão. Ou seja, realização de um caminho de vida capaz de nos aproximar da vida divina e nos tornar mais conformes a ela.
João Batista “não era a luz, mas devia dar testemunho da luz”. Sua voz expressa o essencial: é necessário que o ser humano se abra para o mistério do Deus vivo! Ele já está presente no meio da sociedade.
João é testemunha! Ele vive a palavra que diz. Sua palavra está relacionada com a pergunta “quem és tu?” Qual é a tua identidade? João insiste em dizer quem ele não é! Em dizendo quem não é, ele se apresenta como alguém aberto a um futuro até então impensável. É alguém centrado não em si mesmo, mas está todo voltado para aquele que virá: o Emanuel, o Deus conosco!
João, por meio de suas palavras e do seu batismo, pretende que as atenções se desviem dele para se fixarem em Cristo. Aquilo que ele negou ser, Jesus o é: irrupção da salvação anunciada e esperada. Seu testemunho é tão importante que o evangelista João não esqueceu de indicar o lugar onde aconteceu a cena: “em Betânia, do outro lado do Jordão”.
Nossa época é marcada por uma multidão de seres humanos que vivem numa situação intolerável de carência de bens, de dignidade, de liberdade, de justiça, que não têm acesso aos bens essenciais (educação, saúde, trabalho, moradia), que não têm vez nem voz, que são explorados por sistemas econômicos geradores de exclusão, alienação e miséria. Isso tudo nos causa profunda tristeza. Deus, não é indiferente, ama e se faz próximo de cada sofredor. Sua graça e seu amor dão forças para vencer o desânimo, o frio da noite, o calor do dia, o estômago vazio e as forças da morte. Ele conta conosco para que, por meio de nós, possa demonstrar seu amor e seu cuidado a cada sofredor. Isso nos dá responsabilidade.
Pe. Luciano Royer

Horário das Missas na Matriz: Sábado 19h | Domingo 8h30 min e 19h | Quarta-Feira 19h
Missas Sexta-feira 11/12/2020
19h – Comunidade Santa Rita (Santa Rita)
Missas Sábado 12/12/2020
16h – Comunidade São Pedro (Potreiro Grande)
19h – Comunidade São Pedro e São Paulo (Matriz)
Missas Domingo 13/12/2020
8h30min – Comunidade São Pedro e São Paulo (Matriz)
10h – Comunidade Santo Antonio (Aeroclube)
19h – Comunidade São Pedro e São Paulo (Matriz)
Quarta-feira 09/12/2020
19h – Com. São Pedro e São Paulo (Matriz)
Oportunidade de Confissões em preparação para o Natal – Quarta-feira (manhã e tarde)

Deixe seu comentário