Estamos na Quaresma, tempo que nos prepara à celebração da Vitória de Jesus sobre a morte, e tempo de conversão. De todos os lados, escutamos clamores e a fraternidade não pode deixar-nos indiferentes. Este é um tempo especial, tempo de graça, que nos faz esperar e agir, pois a última palavra não pertence à morte, mas à vida. Aquele que vai ser crucificado será ressuscitado para que todos tenham vida, aliado de toda a criação. É a prática de Jesus o confirma, pedindo nossa colaboração solidária na implantação do projeto de Deus.
O primeiro domingo da Quaresma nos traz a passagem das tentações de Jesus, este ano na versão do Evangelho de Marcos. Conduzido pelo Espírito ao deserto, aí Jesus foi tentado por Satanás. Deserto é lugar de desafios, de provação e de perigos. É a esse ambiente hostil que o Espírito leva Jesus, e é aí que Jesus revela sua ousadia ao enfrentar satanás, seu grande adversário. O Evangelista Marcos não detalha as tentações, diz apenas que Jesus foi tentado, revelando com isso os desafios por ele enfrentados ao longo da vida.
No deserto, Jesus convive com as feras perigosas e ameaçadoras, e com os anjos, amigos de Deus e das pessoas, ele lida com dupla realidade: confronta o que é perigoso e é servido pelos amigos. A exemplo de Jesus, vivemos a tensão dos desafios (feras) e as alegrias e as satisfações (anjos), superando uns e convivendo com os outros. Feras e anjos: dois contrastes no caminho do povo.
Preparado pelo retiro quaresmal (quarenta dias) e tendo vencido seu adversário, Jesus se dirige para a Galiléia, onde inicia sua missão, proclamando a proximidade do Reino de Deus. O Reino não acontece de forma mágica, nem desce do céu por intervenção divina, nem se concretiza na base da violência, mas depende da coversão das pessoas e do acolhimento do Evangelho.
Satanás é aquele que procura desviar Jesus e seus discípulos da missão a eles confiada por Deus. Pode representar qualquer pessoa ou projeto que se opõe aqueles que procuram instaurar a paz e a justiça na sociedade. Pedro foi chamado de satanás por Jesus por querer impedir que o Mestre levasse em frente a missão que Pai lhe havia confiado.
Se satanás é a encarnação de pessoas e estruturas que geram a morte, como descobri-lo e vencê-lo no que diz respeito à situação de quem está na exclusão? Quem precisa converter-se, o excluído ou nós? Se é verdade que Jesus inaugura novas relações das pessoas entre si e com toda a criação, o que isso representa para os excluídos?
Pe. Luciano Royer

Missas Sexta-feira 19/02/2021
19h – Comunidade Santa Rita (Bairro Santa Rita)
Missas Sábado 20/02/2021
16h – Comunidade São Pedro – Potreiro Grande
19h – Comunidade São Pedro e São Paulo (Matriz)
20h – Casamento Igreja Tanac | Francielen Yuly de Menezes e Leonardo Freitas de Menezes
Missas Domingo 21/02/2021
8h30min – Comunidade São Pedro e São Paulo (Matriz)
10h – Comunidade Nossa Senhora da Glória (Germano Henke)
19h – Comunidade São Pedro e São Paulo (Matriz)
Quarta-feira 24/02/2021
19h – Com. São Pedro e São Paulo (Matriz)
Sexta-feira 26/02/2021
18h – Via Sacra

Deixe seu comentário