Olhar o termo de referência pro aluguel da decoração de Natal de Montenegro pode dar dor de estômago a alguns. Do valor base de R$ 257,9 mil reservados, alguns itens estão com preços bem salgados. Duas árvores de quatro metros de altura, por exemplo, devem custar R$ 16,3 mil reais cada. A estrutura de um túnel iluminado, R$ 12,7 mil. 20 guirlandas iluminadas são orçadas em R$ 1,2 mil cada. Dos que mais assusta, tem um urso gigante de led que deve nos levar R$ 20,6 mil para ficar alguns dias na cidade. Aconteceu parecido no ano passado, quando foram R$ 147 mil investidos; e, certamente, o gasto alto de Zanatta vai dividir a opinião dos montenegrinos.

De um lado, é preciso reconhecer o que significa uma decoração natalina. Ter uma cidade decorada renova os ânimos de uma comunidade ainda abatida por todos esses meses tão difíceis. Também – e principalmente – é incentivo ao Comércio local, bastante abalado pela crise para ter condições de abraçar, em conjunto com o poder público, a ornamentação das ruas neste ano. A decoração leva as pessoas pro centro comercial, atrai moradores de cidades vizinhas e fomenta o consumo nos negócios locais. Talvez até seja atrativo para aquele consumidor que ainda teime em não fazer girar a economia de seu próprio Município; indo gastar em shoppings da Região Metropolitana ou na icônica Gramado. O enfeite não é só enfeite.

Por outro lado, olhamos para o termo de referência e são, sim, mais de R$ 20 mil reais de dinheiro público no aluguel de um urso de brinquedo gigante. É grana suficiente pra deixar muita gente indignada enquanto mais e mais famílias encontram dificuldade para pagar aluguel e botar comida na mesa. Nós temos que admitir como o governo municipal vem fazendo um bom trabalho em termos de assistência social e qualificação de mão de obra – o setor é um destaque! – mas essa é uma área onde recurso nunca é demais. Essa e tantas outras.

Portanto, é preciso olhar para outras alternativas mais em conta de viabilizar essa decoração. No governo, as justificativas para não comprar de vez os enfeites giram em torno de problemas de manutenção ao longo dos anos, variação na decoração, armazenagem e falta de equipes de instalação. Mas dá pra pensar além.

Em 2018 e 2019, mesmo, a decoração de Natal de Montenegro foi feita com recicláveis; contando com o trabalho de artistas locais que assumiram a responsabilidade de deixar a cidade mais bonita. Teve críticas ao resultado – sempre tem alguém pra isso -, mas foi uma iniciativa notável. Fica a sugestão! Com mais tempo, talvez para o ano que vem, é possível pensar em algo nessa linha. Quem sabe, como já aconteceu em Canoas, por exemplo, criando concurso de projetos de decoração desenvolvido por nossos artesãos e artistas plásticos? Se não pra tudo, para algum espaço da cidade. Aí, a comunidade mesmo participa e pode escolher. Que tal?

– Pra você, decoração de Natal é gasto ou investimento?


Após acidente…
O grave acidente que matou um homem ao cair de carro no lago de uma pedreira em Alfama repercutiu na Câmara. Individualmente, Talis Ferreira (PP), Camila Oliveira (Republicanos) e Onório Motta (PDT) protocolaram requerimentos ao Executivo por soluções de segurança no local. Eles concordam que a necessidade é da construção de uma mureta de proteção na estrada para evitar que a situação se repita. Certamente, o governo municipal vai analisar o tema com seriedade


Ainda não…

O presidente da Câmara, Juarez Vieira da Silva, vai concluir sua gestão à frente do Legislativo sem entregar o prédio ao lado da Usina Maurício Cardoso reformado e com os banheiros aptos à abertura para a comunidade. Após oficializar a cessão de uso do espaço ao parlamento, Juarez tinha, na revitalização, uma de suas principais metas de trabalho. Ele conta que foi preciso fazer algumas adequações no projeto, especialmente de acessibilidade, e lamenta a demora dos trâmites burocráticos. Destaca, porém, que agora a reforma está em fase de elaboração do edital; e projeta ter, ao menos, a empreiteira contratada dentro deste ano. O presidente quer ter tudo pronto ainda neste Verão. Enquanto isso, acordo com a Prefeitura vai viabilizar que os banheiros da própria Câmara fiquem abertos nos domingos.


Novo vereador
Nome ligado ao tradicionalismo e o interior, Estevão Carpes confirmou que vai assumir a cadeira do PSB na Câmara durante duas semanas de licença do titular, Sérgio Souza. Será entre os dias 3 e 20 de dezembro. Carpes teve votação expressiva nas eleições de 2020, conquistando 727 eleitores. É número maior de votos do que vereadores eleitos como Felipe Kinn, Ari Müller, Juarez Vieira da Silva, Ana Paula Machado, Camila Oliveira e Valdeci Castro. No cálculo da proporcionalidade, porém, o partido só conseguiu uma cadeira.


Estão ligados
Ao aprovar a vinda de nova verba estadual para a perfuração de poços de água no interior, o vereador Talis Ferreira (PP) pediu atenção do governo municipal na gestão dos recursos. Admitiu estar fazendo uma mea culpa por ter sido no Governo Kadu Müller, do seu partido, que três poços foram perfurados e não garantiram, efetivamente, a entrega da água às comunidades. É o motivo principal pra Montenegro estar, hoje, no Cadastro de Devedores do Estado. Do mesmo PP, Ari Müller também frisou a importância de escolher um bom lugar para os poços.


Dúvida nas remoções
O vereador Sérgio Souza (PSB) encaminhou Pedido de Informações ao prefeito sobre o contrato da Prefeitura com uma terceirizada; que fica de sobreaviso para o serviço das remoções, na Saúde, fora do horário de expediente dos servidores do setor. É o local onde ele também trabalha. Defendendo que é questão de valorização do servidor chamá-los, ao invés da terceirizada, o parlamentar pede uma série de detalhes. Pergunta sobre operação, custos e fiscalização do contrato. Há duas semanas, ela já tinha feito críticas à prática. Agora, Zanatta tem 30 dias para responder.


Esperanças de Brasília
Em Brasília na última semana, Gustavo Zanatta e companhia protocolaram projetos para a captação de recursos a Montenegro. Como ocorreu em agosto, da capital do País, a equipe do governo está divulgando os pedidos que protocolou e com quem. A prática pode acabar gerando expectativas que podem não se concretizar, mas é inteligente ao ligar as demandas aos nomes dos deputados e senadores que as receberam. Afinal, as eleições estão chegando; e a busca pelos votos dos montenegrinos pode dar uma forcinha a mais para que os parlamentares se movimentem para garantir, o quanto antes, verbas junto ao apertado orçamento da União.

Com impedimentos do ano eleitoral, prefeito já sabe que muita coisa é esperada só para 2023. Foto: Acom / Prefeitura de Montenegro

Um projeto que chama atenção, deixado por Zanatta no gabinete do deputado federal Ubiratan Sanderson (PSL) é para a instalação de dois decks e pedalinhos no Parque Centenário. Com bancos, iluminação e lixeiras, é um investimento de cerca de R$ 280 mil. Em sua versão digital, a coluna fez um checklist com essa e outras demandas apresentadas aos deputados e senadores nas viagens do governo municipal à Brasília. Será atualizada sempre que novas forem sendo anunciadas.


Falando em emenda
Sérgio Souza (PSB) contou que deixou com o senador Lasier Martins (Podemos), na recente visita do parlamentar à região, projeto para a aquisição de uma nova unidade móvel para a Saúde, em Montenegro. O veículo é avaliado em mais de R$ 1 milhão; e Lasier disse que irá buscar, ao menos, parte do recurso. Aguardamos!


Casão
Suplente no lugar de Paulo Azeredo (PDT), Onório Motta da Rosa assumiu lugar na Câmara com vontade de mostrar a que veio. Na tribuna, frente a frente com o prefeito em exercício, Cristiano Braatz, criticou o modelo de concessão da Casa do Produtor Rural. Em seu entendimento, a estrutura pública devia ter, na exploração do café, um rodízio feito entre os Grupos Organizados do Lar (GOL’s) das comunidades do interior. Seria caminho para favorecer o coletivo. “Casão”, como é conhecido, também alfinetou o governo sobre a falta de andamento no projeto das rótulas na RSC-287. “Já fez um ano”, provocou, olhando para Braatz. Como muito faz o titular da cadeira, o suplente defendeu a alternativa de instalação das sinaleiras; e convidou os colegas de Legislativo a separarem a sobra do orçamento deste ano para buscar parcerias e construir, enfim, uma passarela de pedestres na rodovia.


Pra resolver
Talis Ferreira (PP) fez indicação ao Executivo para instalação de uma pracinha na área verde junto ao Loteamento Via II. O local foi tema de reportagens do Ibiá. Separado como área institucional para a Prefeitura, ficou sem uso e acaba sendo visado para ocupações irregulares. Moradores do entorno vêm fazendo mutirões pra manter o lugar limpo e coibir a prática. Uma praça resolveria a questão.


De parabéns!
Criada pela vereadora Ana Paula Machado (PTB), a Semana do Empreendedorismo Feminino merece aplausos. Dando força a um já belo trabalho realizado pela Confraria das Mulheres Empreendedoras, trouxe debates inspiradores; e um importante incentivo aos muitos negócios da cidade liderados por mulheres. Que a iniciativa só cresça no decorrer dos anos!

Deixe seu comentário