Ano vai e ano vem e estamos sempre com inúmeras expectativas, desejos e promessas. Tudo acontece como uma ideia mágica, como se de um dia para outro as coisas pudessem ser diferentes. Como se através do nosso querer e nossa esperança, agora sim, nossos planos darão certo.
Porém, o que nos faz mover são justamente a esperança e os sonhos, sem eles seríamos acuados, acomodados e sem criatividade.
A criatividade e o bom humor são alimentos essenciais para o sucesso. Com eles os obstáculos e desafios são menos duros e sofríveis. O bom humor facilita novas ideias, deixa fluir, não nos torna tão críticos e duros conosco mesmos. A criatividade vem de encontro com as necessidades e da força de vencer desafios.
As maiores invenções surgem em época de crise, de necessidades e quando elas são acompanhadas com energia e confiança os obstáculos se tornam espaços comuns para vencer.
Neste ano tivemos muitos desafios e decepções que indiretamente se atravessaram em nosso cotidiano. Acredito que para algo que está causando dor e sofrimento social e pessoal, as bases precisam ser derrubadas para construir o novo. Já que elas como estão provaram não dar certo. O medo de mudar e do desconhecido é que nos bloqueia e paralisa.
De minha parte eu só desejo que as famílias deem seu devido valor, ocupem seu espaço, consigam ser modelos e ensinar aos filhos e dependentes o que é correto e ético. Também consigam passar aos filhos e netos o valor da espiritualidade da presença de Deus em nossas vidas, tenha ele o nome que tiver. E que a ideia de que não adianta dar peixe pronto e limpo, é necessário ensinar a pescar, a aprender, a valorizar as conquistas. Paternalismo nunca deu certo, cria um povo servil e apático, sem energia e confiança em si.
Por enquanto, como estou em férias, me satisfaço em ouvir as portas dos quartos uma a uma se abrirem de manhã e delas saírem um após o outro os queridos netos, cabelos desgrenhados, pijamas amassados sem falar nem pedir licença, apenas se achegando e se aninhando em nossa cama. É um verdadeiro sanduíche de netos com avós. Ficam ali sem quase falar, apenas se aninhando e acordando aos poucos. É um momento único, impagável, de total felicidade.
Desejo a todos vocês meus leitores, os quais amo e respeito um Feliz 2019. Estarei ausente no mês de janeiro. Um beijo no coração de cada um.

Deixe seu comentário