bateu, levou, Newton, ética, representação, hospital, Real,PEC, prorrogação, cartazes, ladrões

Na Física, a terceira “Lei de Newton” descreve o resultado da interação entre duas forças. Ela pode ser enunciada da seguinte maneira: para toda ação sobre um objeto, em resposta à interação com outro objeto, existirá uma reação (força) de mesmo valor e direção, mas com sentido oposto. Na Política, esta teoria se manifesta de uma forma um pouco mais simples, através da expressão “bateu, levou”. É ela que está por trás de mais uma representação encaminhada ao Conselho de Ética da Câmara, a terceira em menos de um mês, desta vez contra o vereadores Joel Kerber, do Progressistas; e Talis Ferreira, do PR. A iniciativa é de dois moradores da vila Esperança, no bairro Senai, e tem como base um discurso feito por Joel no ano passado. Durante sua passagem pela tribuna, ele lamentou o roubo de fresa usada pela Prefeitura para melhorar as ruas daquela comunidade por uma pessoa que ali reside. O vereador disse que soube disso pelo colega Talis e que o furto teria ocorrido com o uso de carrinho de mão. O material teria sido desviado para um pátio.

Das profundezas
Se o discurso ocorreu no ano passado, por que o assunto ressurgiu agora? É que, depois de ter sido acusado de misogenia, por sugerir que homens sem coragem devem usar vestido; e de preconceito, ao dizer que a Prefeitura faz serviços “perna de anão”, como sinônimo de obras mal feitas, o vereador Valdeci Alves de Castro, do PSB, resolver revidar. Irritado por “apanhar” de alguns colegas na tribuna, ele começou a escavar antigos discursos dos seus detratores em busca de algum furo. A fala do vereador Joel foi reprisada na sessão e provocou a revolta dos moradores da Esperança.

Comparações
Valdeci garante que o objetivo não é simplesmente atacar os colegas que o arremessaram ao fogo. Ele quer que a comunidade compare suas declarações infelizes – pelas quais pediu desculpas – com as do colega Joel. Assim, a população poderá concluir quem cometeu as ofensas mais graves.

Ética
Quinta-feira, durante a sessão, moradores da Esperança compareceram à Câmara armados de cartazes com declarações como “Joel e Talis. Queremos explicações! Não somos ladrões”. As duas representações encaminhadas ao Conselho de Ética são assinadas por Zilmara dos Santos Ramos Kerber e Elton Luiz de Carvalho.

Sozinho
Valdeci admite que andou escarafunchando as manifestações das vereadoras Josi Paz e Rose Almeida, suas colegas de PSB, mas também responsáveis por críticas duras no episódio. Como não encontrou nada digno de nota, ele as parabenizou pela forma correta como vêm se pronunciando. Quanto a Joel, não há como negar que foi extremamente infeliz em sua declaração. E está sozinho nessa. Talis Ferreira encontra-se licenciado, mas já declarou que nada sabe e disse sobre o suposto furto de material.

Desculpas
Se um vereador toma conhecimento de uma irregularidade desse nível, só existe um caminho a seguir: buscar provas e acionar as autoridades. Levar para a tribuna da Câmara um boato sobre algo tão grave beira a infantilidade. E o pior é que, até agora, sua Excelência ainda não teve a humildade de pedir desculpas.

Brincando
Para quem está de fora, tudo isso deve parecer uma daquelas piadas sem a mínima graça. Com a cidade tomada de problemas, suas excelências dedicam seu precioso e bem remunerado tempo a atacar os colegas por declarações infelizes e a construir vingancinhas rasteiras. A imagem do Poder Legislativo fica comprometida, justamente num momento em que a seriedade é um ativo tão raro na política local.

Atendimento qualificado
Depois de apresentar um cronograma de liquidação das dívidas com as prefeituras na área da saúde, o governo do Estado dá um importante apoio para que o Hospital Montenegro se torne instituição de referência nas áreas de Traumatologia e Neurologia. Focada na alta complexidade, a instituição receberá maiores aportes de recursos do governo federal e procedimentos que hoje são encaminhados a Porto Alegre poderão ser realizados aqui mesmo. Sem dúvida, um ganho para todo o Vale do Caí, que não perde por apostar na instituição 100% SUS.

Plantão – Por outro lado, a instituição voltou a ser alvo de críticas porque não está fazendo o atendimento a todos os pacientes que a procuram. Parece que muita gente ainda não assimilou que, agora, quando precisa de médico, a comunidade deve ir primeiro até a Secretaria da Saúde, onde funciona o Plantão 24 horas. Somente os casos graves são tratados diretamente no HM, como ocorre na grande maioria das cidades. Por sinal, os serviços oferecidos na Assistência vêm sendo elogiados, mas ainda está faltando informação.

Apoio – Quinta, da tribuna, o presidente da Câmara, Cristiano Braatz (MDB), elogiou o apoio que o presidente da Associação dos Municípios do Vale do Caí, Oregino Francisco, vem dando ao Hospital. Pré-candidato a prefeito de Montenegro, ele tem duplo interesse no sucesso da instituição.

RAPIDINHAS
Quem esperava que, em sua breve passagem pela Câmara, o ex-prefeito Paulo Azeredo atacaria aqueles que o cassaram em 2015, enganou-se redondamente. Seu discurso foi extremamente respeitoso e propositivo. Aparentemente, virou a página.

Vereador Felipe Kinn da Silva (MDB) propôs uma reunião na Câmara para discutir o aumento das passagens de ônibus. A tarifa foi de R$ 3,50 para astronômicos R$ 3,95. Infelizmente, as chances de reverter o reajuste são mínimas.

Pelo visto, foi difícil o teste para participar da eleição do Conselho Tutelar. Dos 35 candidatos que fizeram a prova de conhecimentos legais e de Língua Portuguesa, apenas 17 passaram. Se os aspirantes a vereador fossem submetidos à mesma seleção, quantos restariam?

Presidente do Progressistas, vereador Joel Kerber garante que a legenda tem planos B, C, D e E para o caso de o prefeito Kadu Müller, por algum motivo, ficar impedido de concorrer à reeleição. “Isso é oganização”, definiu.

Lideranças do PTB e do MDB acreditam que é possível construir uma aliança unindo, na mesma chapa, Gustavo Zanatta e Cristiano Braatz. Neste caso, seria bom os dois começarem a conviver logo para neutralizar os excessos de… autoestima.

As representações ao Conselho de Ética, por conta dos escorregões dos vereadores em seus discursos, transformaram a Câmara de Montenegro num belo Pesque-e-Pague, com “peixes morrendo pela boca” a toda hora.

Implantado em julho de 1994, o Plano Real faz 25 anos este mês. Na época, com R$ 1,00, era possível adquirir dez “cacetinhos” em qualquer padaria. Bons tempos!

Está avançando silenciosamente na Câmara dos Deputados a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) 376, que prorroga por dois anos os mandatos de vereadores e prefeitos, e alinha todas as eleições em 2022. Se passar, o que é pouco provável, Kadu e os atuais vereadores ficam mais três anos e meio em seus cargos. O que você acha?

Deixe seu comentário