Dia destes, enquanto aguardava por uma carona, presenciei um incidente de trânsito.
O assobio agudo do freio levou minha atenção ao cruzamento. Um motociclista rodava pela via secundária. Ao tentar parar na esquina, não conseguiu frear totalmente. Com isto, parte da moto avançou sobre a outra via. O motorista do carro, que vinha pela preferencial, distraído, custou para notar a situação. Assim que percebeu, parou o carro bruscamente e teve um acesso de raiva contra o motociclista.
O que mais chamou minha atenção, estava por vir.
O motociclista fez um sinal se desculpando e, normalmente, seguiu seu caminho. No entanto, o condutor do carro acelerou violentamente em perseguição. Com os vidros do carro abertos e aos berros, proferiu um vasto repertório de xingamentos e palavrões. Cheguei a imaginar um final trágico para a situação, não fosse a atitude do motociclista.
Ele parou a moto e o carro parou ao seu lado. Em meio aos brados que ouvia, também começou a falar em tom elevado: “Me desculpe. A culpa foi minha. Errei, errei. Você não precisa ficar tão brabo assim. Vai te fazer mal. ”. Esta frase precisou ser repetida duas vezes, até que o outro silenciasse e fizesse um “legalzinho”.
A situação me fez pensar sobre mensagens. Que toda vida – a todo momento – é uma mensagem sendo transmitida. Infelizmente, muitos, jamais entenderão a profundidade desta afirmação.
Em tempos de compartilhamentos digitais, alguns se portam apenas como mensageiros de outras histórias. Distraídos de si, replicam futilidades. Se tornam mensageiros servis de mensagens carregadas de ódio, rancor e maldade. Se iludem sobre estarem isentos da própria responsabilidade. Mas, obrigatoriamente, toda palavra carrega sentimentos. E pode mudar negativamente o curso da história. Nossa e daqueles ao nosso redor.
Do que fala sua mensagem? De que modo ela é comunicada?Você gasta tempo falando da má política ou é um praticante da boa política? Você fala de amor ou transmite o amor? Sua mensagem transforma, melhora,evolui?
Voltando ao quase acidente, duas mensagens foram transmitidas. Uma, totalmente agressiva, raivosa, descontrolada. Outra que sim, falhamos; mas que podemos e devemos assumir nossas atitudes. Que toda resolução de conflito passa pela empatia.
Encruzilhadas são lugares sagrados. De surpresas, possibilidades e oportunidades. Mas, especialmente, de escolhas.
O que cabe a cada um de nós transmitir para o futuro? O que estamos comunicando neste exato momento?Que mensagem é você?
Paz e bem!

Deixe seu comentário