Pessoas carentes são aquelas que sofrem com a ausência ou privação do que é necessário. Pelo menos é isso que o dicionário diz. Costumeiramente usamos essa palavra para nos referirmos aquelas pessoas sem dinheiro, comida, roupa, etc. Faltam a elas elementos básicos para sobreviver; porém, ao menos esses itens são objetivos. Mas o dicionário também mostra que carente é aquele com necessidades afetivas; o que deixa a coisa um pouco mais subjetiva.
Nos dois casos, os carentes em questão saem em busca daquilo que lhes falta. Primeiro, quem nunca foi abordado por um pedinte – geralmente criança – na porta do supermercado? Se está entrando num, é claro que tem dinheiro; mas nesse caso pode argumentar que só tem o cartão no bolso. A menos que o pedinte tenha uma maquininha – e aceite doação no crédito, e parcelado – o abordado pode escapar. Mas, e a saída? Como dizer que não temos nada para ajudar com tantas sacolas nas mãos? Estamos encurralados. Finalmente cedemos e a doação acaba com um gosto de extorsão.
Tive o desprazer de descobrir que alguns carentes afetivos estão adaptando essa técnica para conseguirem pequenos momentos de relacionamento. No caso, o supermercado foi substituído pelo cinema. Assim como quem vai ao super tem dinheiro, quem vai ao cinema quer ver o filme. Assim como quem entra no super, vai ter que sair com as compras pelo mesmo lugar, quem vai ao cinema, tem que ficar sentado na poltrona que escolheu na bilheteria. Sabendo disso, o solitário tem em mãos duas coisas: um assunto pra puxar com os estranhos a sua volta, e a certeza de que eles não vão mudar de poltrona, principalmente se a sessão estiver lotada. O problema dessas criaturas é que, na ânsia por conversar, acabam dando “spoilers”, ou seja, ficam contando o filme.
– Essa parte é chata.
– Ele tá apanhando agora, mas depois vai vencer.
– Aquele dali vai morrer no final.
Acho que se houvesse uma pesquisa sobre as principais causas de mortes em cinemas; dar spoiler estaria no topo, à frente de engasgar com pipoca ou quebrar o pescoço ao tropeçar na sala escura procurando o banheiro. Então aquele personagem vai morrer no final? Parece que não vai ser o único aqui…
Ninguém pode afirmar que nasceu com tudo; uns carecem de dinheiro, outros de amizades. Ainda assim seria prudente evitarem aqueles que nasceram sem paciência.

Deixe seu comentário